Seguidores

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Ciência esta provando que a morte não existe – filmes depois do texto.

As cidades espirituais se espalham pela vizinhança em torno da Terra, dispondo-se em regiões próximas às populações
dos encarnados, com as quais mantêm ligações físicas e psíquicas.
Elas, geralmente, são fundadas à mesma época em que surgem
as cidades dos encarnados.
O desenvolvimento das cidades espirituais erigidas por espíritos
mais adiantados, mais evoluídos moral e intelectualmente,
impulsiona a evolução da Terra, tendo em vista a reencarnação
de seus habitantes com o fito de fazer evoluir a sociedade dos
encarnados. Espíritos cada vez mais adiantados reencarnam, de
tempos em tempos, trazendo seus conhecimentos e suas experiências
adquiridas junto a grupos de espíritos mais evoluídos, preocupados
com o crescimento espiritual na Terra.
O crescimento espiritual e o progresso tecnológico na Terra
são fruto e reflexo do desenvolvimento das cidades espirituais.
As cidades terrenas são cópias materiais das cidades espirituais,
às quais estão ligadas. Há espíritos mais adiantados, missionários,
a serviço dos condutores do processo de desenvolvimento
espiritual da Terra, que reencarnam trazendo novas idéias, fomentando
o progresso, a paz e a harmonia nas populações. Às
vezes, surgem em comunidades atrasadas, superando as dificuldades
de seu meio, fazendo revoluções que propiciam o crescimento
social e espiritual da humanidade.
Os espíritos, quando desencarnados, têm uma vida social/
espiritual de acordo com seus níveis de evolução. Reencarnam
sempre em busca de novo aprendizado.

Falamos dois mundos, um material e outro espiritual, mas na verdade, existem inúmeras esferas de vida no plano do espírito, de acordo com a evolução dos mesmos e, por vezes, umas interpe¬netrando as outras. No mundo físico, existem igualmente muitos estágios de vida, sem que uns fiquem invisíveis aos outros, como ocorre no plano do espírito. Porém, no plano espiritual, os superiores podem observar os inferiores, mas estes não têm capacidade de vê-los, a não ser quando os luminares acham conveniente.
O mundo físico, na profundidade que devemos crer, é o mes¬mo mundo dos espiritos, onde a matéria tomou outra dimensão, a dimensão divina. E a matéria não deixa de ser energia sublimada que se coagulou por bênção desse mesmo Deus

Existem muitas faixas onde se organizam e se movimentam espfritos com a mesma afinidade de vida. São levantados países, ci¬dades e colónias sem conta, postos de socorro e variações de as¬sistência por todos os lados, para o bem-estar de todas as almas que estagiam neste abençoado campo de vida. A Terra é uma cópia dessas construções, que podemos chamar f luídicas.
O mundo dos espfritos é mais real que o físico. A vida dos es¬pfritos é semelhante à dos homens, porque estes, antes de reencar-narem, aprendem naquele plano o que devem fazer na Terra. Graças à Doutrina dos Espfritos, eles estão mais conscientes desta grande verdade. A missão das religiões de todo mundo deveria ser a de colocar
a criatura mais próxima do mundo espiritual, possibilitando aos dois planos trabalharem juntos para a conquista do amor e da sabedoria.

Dos dois mundos a que nos referimos, o principal é, pois, o espiritual, que preexiste e sobrevive a tudo. Ele é constituído de matéria rarefeita, capaz de resistir aos impactos da própria natureza. Há pessoas que não entendem a moradia dos espíritos, por estarem encarnadas, e o contacto com a matéria os faz esquecer o plano que existe na dimensão do espirito

Um comentário:

  1. Uma vida sem amigos é como viver numa ilha deserta, sem água, sem alimentos, sem luz.Sem amor eu desejo a todos muitas felicidades.tenham uma semana de muita luz de amor e paz.Obrigado!

    ResponderExcluir

ADICIONE SEU COMENTÁRIO AQUI