Seguidores

sábado, 28 de janeiro de 2012

PARASITISMO

6680Jesus1

Em nos despojando dos fluidos_mais_grosseiros, através da morte física, à proporção que nos elevamos em compreensão e competência, transformamo-nos em auxiliares diretos das criaturas. Apesar disso, porém, o cipoal da ignorância é ainda muito espesso. E o vampirismo mantém considerável expressão, porque, se o Pai é sumamente misericordioso, é também infinitamente justo. Ninguém lhe confundirá os desígnios, e a morte_do_corpo quase sempre surpreende a alma em terrível condição parasitária. Desse modo, a promiscuidade entre os encarnados indiferentes à Lei Divina e os desencarnados que a ela têm sido indiferentes, é muito grande na crosta da Terra.  Absolutamente sem preparo e tendo vivido muito mais de sensações_animalizadas que de sentimentos e pensamentos puros, as criaturas humanas, além_do_túmulo, em muitíssimos casos prosseguem imantadas aos ambientes domésticos que lhes alimentavam o campo emocional. Dolorosa ignorância prende-lhes os corações, repletos de particularismos, encarceradas no magnetismo terrestre, enganando a si próprias e fortificando suas antigas ilusões.

Aos espíritos infelizes que caíram em semelhante condição de parasitismo, as larvas servem de alimento habitual.

  • Semelhantes larvas são portadoras de vigoroso magnetismo animal.

  • Naturalmente que a fauna microbiana, em análise, não será servida em pratos; bastará ao desencarnado agarrar-se aos companheiros de ignorância, ainda encarnados, qual erva daninha aos galhos das árvores, e sugar-lhes a substância vital.

André Luiz -  1943

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ADICIONE SEU COMENTÁRIO AQUI