Seguidores

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Legista afirma que homem morreu de combustão espontânea


As pessoas podem, de repente e inexplicavelmente, explodir em uma bola de fogo?
Parece história de um filme de terror, mas algumas pessoas acreditam que acontece. É também o que um legista concluiu sobre um irlandês de 76 anos de idade, que queimou até a morte em sua casa. Havia marcas de queimaduras acima e abaixo do corpo, mas nenhuma evidência de gasolina, querosene ou outros aceleradores. O legista relatou que o fogo foi exaustivamente investigado e a conclusão é de que isso se encaixa na categoria de combustão humana espontânea, para a qual não há explicação adequada.
Normalmente, é claro, os incêndios não começam por si próprios. Quando os pesquisadores estão buscando a causa de incêndios florestais, não assumem que a chama apenas acendeu, mas sim que ela provavelmente foi causada por alguém descuidado ou por um relâmpago. Apesar de rara, a combustão espontânea tem uma certa ocorrência. Sob circunstâncias corretas, muitas coisas podem autoinflamar em um dia quente, incluindo pilhas ou trapos usados contendo óleo ou gasolina. Poeira de carvão também pode inflamar-se espontaneamente, um dos muitos perigos que os mineiros enfrentam.
Mas a afirmação de que as pessoas podem de repente explodir em chamas, sem motivo aparente, é uma questão totalmente diferente. O caso mais conhecido de combustão humana espontânea é realmente de ficção: em um romance de Charles Dickens, Casa Abandonada, um personagem explode em fogo. O fenômeno também apareceu em outros filmes e em programas de TV.
Mas há alguma confirmação de casos da vida real?
É aí que as coisas ficam mais complicadas. Embora alguns autores sugiram que existiram centenas (ou milhares) de casos de combustão espontânea ao longo da história, apenas uma dúzia foi investigada em detalhes. Um pesquisador que examinou vários casos supostamente inexplicáveis,= descobriu que todos eles eram muito menos misteriosos do que se dizia. A maioria das vítimas eram idosos, viviam sozinhos e havia chamas por perto (cigarros, velas, incêndios, etc) quando morreram. Vários foram vistos pela última vez consumindo álcool ou fumando.
Como pode um corpo queimar por completo? Se a pessoa está dormindo, embriagada, inconsciente, muito fraca, incapaz de se mover ou de apagar as chamas, as roupas da vítima podem agir como um pavio, para queimar a gordura do corpo (que por ser um óleo é inflamável e está muito perto da superfície da pele). Uma vez que um corpo começa a queimar, ele vai continuar até que o combustível (roupas, cadeiras, o corpo, etc) se acabe.
Os incêndios são notoriamente instáveis. Às vezes as chamas se espalham para outros lugares, outras vezes não. Às vezes incêndios consomem o corpo inteiro, outras vezes não. Tudo depende das circunstâncias específicas de cada caso.
Pesquisas também jogam água fria na ideia de que corpos só podem ser consumidos por temperaturas muito mais altas do que as chamas comuns podem oferecer. As experiências mostram que a gordura humana queima a uma temperatura de 250°C, porém um pavio de pano na gordura vai queimar mesmo quando a temperatura cai até 24°C.
O caso do irlandês pode não ser tão misterioso quanto parece. Havia, afinal, uma lareira perto de seu corpo queimado. Parece provável que uma faísca ou brasa se estalou do fogo, atingiu suas roupas e botou-as em chamas. Não está claro por que o legista excluiu esta explicação.
Se a combustão humana espontânea é um fenômeno real (e não o resultado de uma pessoa idosa ou doente muito perto de uma fonte de chama), por que não acontece com mais frequência? Há 5 bilhões de pessoas no mundo e ainda assim não vemos relatos de pessoas explodindo em chamas enquanto caminhavam pela rua, assistiam a jogos de futebol ou tomavam um café. Se a combustão humana é um fenômeno real, mas muito raro, estatisticamente deveríamos ver muito mais casos. [MSN]

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ADICIONE SEU COMENTÁRIO AQUI