Seguidores

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Bem-Aventurados os Aflitos por que serão Consolados

 

clip_image001

 

MENSAGEM EM PORTUGUÊS-ESPAÑOL-ENGLISH

 

 

BEM-AVENTURADOS-Português

DO AMOR ARMA INFALÍVEL-Português

SOBRE EL ESPIRITISMO-Español
SINTONIZA VOCES LATINAS-RÁDIO-
Español

COMPRENDER Y PERDONAR-Español

FESTIVAL ESPÍRITA DE VERÃO-Português

clip_image003

 

Queridos amigos(as). Deus conosco.

Novas Mensagens de Amor.

João Cabral - Presidente da ADE-SERGIPE-Brasil

WEBSITE: www.ade-sergipe.com.br

Vídeos. Rádio Online - com Mensagens e Músicas de Auto-Ajuda. Links. TVs. Veja, agora.

Em: 13.01.2013.

Aracaju-Sergipe-Brasil

OBS: Pessoas que não desejarem receber nossas mensagens nos escrevam...

 

Um bom dia de paz a todos!
A reflexão do dia....

BEM-AVENTURADOS
Emmanuel e Chico Xavier

Do livro: Justiça Divina - FEB

clip_image004

        [...] Dos mundos superiores, verdadeiros focos de luz e felicidade, Espíritos se destacam para mundos inferiores a fim de neles semearem os germens do progresso, levar-lhes consolação, esperança e levantar os ânimos abatidos pelas provações da vida.                                                                                                                               

Allan Kardec
(Do livro “O Céu e o Inferno” - 1ª Parte, cap. III, item 17).

         Vieram ao mundo em todos os tempos.
        Seguem-nos ainda hoje.
        E virão sempre.
       Por amor, os bem-aventurados, que já conquistaram a Luz Divina, descerão até nós, quais flamas solares que não apenas se retratam nos minaretes da Terra, mas penetram igualmente nas reentrâncias do abismo, aquecendo os vermes anônimos.
        Chegam, sim, até nós, desculpando-nos as faltas e suprindo-nos as fraquezas, a integrar-nos na ciência difícil de corrigir-nos por nós mesmos, sem reclamarem o título de mestres.
        Volvem de sublimes regiões, semelhando astros que se apagam na sombra de pesada renúncia, para nos conduzirem o passo, e, vestindo a roupagem inferior em que nos achamos, são pais e mães, amigos e servidores, cuja grandeza, muita vez, percebemos somente depois que se distanciam...
        Ajudam-nos a carregar o peso de nossos erros, sem tornar-nos irresponsáveis. Sustentam-nos a energia sem demitir-nos da obrigação.
        Sobretudo, jamais nos criticam as deficiências, apesar de nos conhecerem as forças ainda frágeis, e, ainda mesmo quando nos precipitemos no vício, levantam-nos, caridosos, sem fustigar-nos com o tição da censura.
         São eles a palavra serena nos redemoinhos do desespero, o refúgio no abandono, o consolo quando a provação nos obriga a marchar sob a chuva das lágrimas, e a certeza do bem, quando o mal parece minar a vida.

  *
Se choras, reflete neles.                                                                            

          Quando te aflijas, não lhes olvides o apoio.
          Endereças o pensamento às Alturas e pede-lhes inspiração e socorro, porque, para eles, os bemaventurados que se elevaram à União Divina, o júbilo maior será sempre esparzir o amor de Deus, que acende estrelas, além das trevas, e desabotoa rosas entre espinhos.

 

clip_image005

Luz do Evangelho - Jesus é nosso guia

DO  AMOR A  ARMA  INFALÍVEL

 

Neio Lúcio

 

Certo dia, um homem revoltado criou um poderoso e longo pensamento de ódio, colocou-o numa carta rude e malcriada e mandou-o para o chefe da oficina de que fora despedido.

O pensamento foi vazado em forma de ameaças cruéis. E quando o diretor do serviço leu as frases ingratas que o expressava, acolheu-o, desprevenidamente, no próprio coração, e tornou-se furioso sem saber por quê. Encontrou, quase de imediato, o subchefe da oficina e, a pretexto de enxergar uma pequena peça quebrada, desfechou sobre ele a bomba mental que trazia consigo.

Foi a vez do subchefe tornar-se neurastênico, sem dar o motivo. Abrigou a projeção maléfica no sentimento, permaneceu amuado várias horas e, no instante do almoço, ao invés de alimentar-se, descarregou na esposa o perigoso dardo intangível. Tão-só por ver um sapato imperfeitamente engraxado, proferiu dezenas de palavras feias; sentiu-se aliviado e a mulher passou a asilar no peito a odienta vibração, em forma de cólera inexplicável. Repentinamente transtornada pelo raio que a ferira e que, até ali, ninguém soubera remover, encaminhou-se para a empregada que se incumbia do serviço de calçados e desabafou. Com palavras indesejáveis inoculou-lhe no coração o estilete invisível.

Agora, era uma pobre menina quem detinha o tóxico mental. Não podendo despejá-lo nos pratos e xícaras ao alcance de suas mãos, em vista do enorme débito em dinheiro que seria compelida a aceitar, acercou-se de velho cão, dorminhoco e paciente, e transferiu-lhe o veneno imponderável, num pontapé de largas proporções. O animal ganiu e disparou, tocado pela energia mortífera, e, para livrar-se desta, mordeu a primeira pessoa na via pública. Era a senhora de um proprietário vizinho que, ferida na coxa, se enfureceu instantaneamente, possuída pela força maléfica. Em gritaria desesperada, foi conduzida a certa farmácia; entretanto, deu-se pressa em transferir ao enfermeiro que a socorria a vibração amaldiçoada. Crivou-o de xingamentos e esbofeteou-lhe o rosto.

O rapaz muito prestativo, de calmo que era, converteu-se em fera verdadeira. Revidou os golpes recebidos com observações ásperas e saiu, alucinado, para a residência, onde a velha e devotada mãezinha o esperava para a refeição da tarde. Chegou e descarregou sobre ela toda a ira de que era portador.

- Estou farto! – bradou – a senhora é culpada dos aborrecimentos que me perseguem! Não suporto mais esta vida infeliz! Fuja de minha frente!

Pronunciou nomes terríveis. Blasfemou. Gritou, colérico, qual louco.

A velhinha, porém, longe de agastar-se, tomou-lhe as mãos e disse-lhe com naturalidade e brandura:

-Venha cá, meu filho! Você está cansado e doente! Sei a extensão de seus sacrifícios por mim e reconheço que tem razões para lamentar-se. No entanto, tenhamos bom ânimo! Lembremo-nos de Jesus!... Tudo passa na Terra. Não nos esqueçamos do amor que o Mestre nos legou...

Abraçou-o comovida, e afagou-lhe os O filho demorou-se a contemplar-lhe os olhos serenos e reconheceu que havia no carinho materno tanto perdão e tanto entendimento que começou a chorar, pedindo-lhe desculpas.

Houve então entre os dois uma explosão de íntimas alegrias. Jantaram felizes e oraram em sinal de reconhecimento a Deus.

cabelos!

A projeção destrutiva do ódio morrera, afinal, ali, dentro do lar humilde, diante da força infalível e sublime do amor.

 

 

Sobre el espiritismo

Tened confianza en la bondad de Dios, y sed bastante perspicaces para comprender los preparativos de la nueva vida que os destina. Verdad es que no os será dado gozar de ella en esta existencia, ¿pero no seréis felices, sino volvéis a vivir en este globo, considerando desde arriba la obra que habréis empezado y que se desarrollará a vuestros ojos?

Estad animados por una fe firme y sin vacilar contra los obstáculos que parece deber levantarse contra el edificio cuyos cimientos ponéis. Las bases sobre las cuales se apoya son sólidas: Cristo puso la primera piedra.

¡Ánimo, pues, arquitectos del Divino Maestro! Trabajad, edificad. Dios coronará vuestra obra. Pero no olvidéis que Cristo desconoce a cualquiera de sus discípulos que sólo tenga la caridad en los labios; no basta creer, sobre todo es menester dar ejemplo de bondad, de benevolencia y de desinterés, sin esto, vuestra fe será estéril para vosotros.

San Agustín.

Allan Kardec

Extraído del libro "El libro de los médiums"

Mensaje traducido por Mari Carmen-España

clip_image006

 

Comprended y perdonad

Hijos, la comprensión es la virtud que os predispone naturalmente al perdón. Comprended para perdonar. No conservéis resentimientos en el corazón, sabiendo que aquel que os decepciona es un compañero vencido por sus propios conflictos.

No exijáis a las otras infalibilidades.

Los amigos que siguen a vuestro lado, cuales os acontecen, son espíritus señalados por muchas limitaciones, aparentando exteriormente lo que aun no son. Compadeceos de los males ajenos, no sobrecargando los hombros de aquellos que avanzan, aguantándose mal el peso de la cruz.

No condicionéis vuestra conducta en el bien a la conducta de quien quiera que sea; que vuestra fe no dependa de la demostración de fe de los que os inspiran en la jornada…

Solamente en Jesús Cristo deberéis encorajaros en la lucha.

Los hermanos de creencia espírita, principalmente los que se encuentran sirviendo en la mediumnidad y los que ocupan posiciones de liderazgo, son, al final, espíritus comprometidos con el pasado: ninguno de ellos se encuentra inmune al asedio de las tinieblas.

No es raro, el personalismo y la vanidad apenas ocultan en las almas una estameña de llagas…

Los que intentan brillar para el mundo están lejos de poseer luz propia.

A rigor, muchos de nosotros no estamos aun siquiera preparados para una mayor proximidad con el Cristo –la posibilidad de semejante convivencia más estrecha nos llevaría al delirio.

Quien, desde hace siglos, se habituó en las sombras, solo poco a poco se acostumbra a la claridad.

El hombre sin mayor entendimiento del Evangelio transfiere su ambición concerniente a las cosas materiales para las cosas divinas. ¿Los apóstoles no llegaron a disputar entre si la primacía de estar, en el Reino Celeste, al lado del Señor?

Así, tomad vosotros mismos la iniciativa de la ejemplificación y del coraje de vivir, de forma irreprensible, la creencia que abrazasteis.

Bezerra de Menezes

Extraído del libro “A coragen de Fé”
Carlos A. Baccelli
Traducido por Jacob

Mensaje traducido por Mari Carmen-España

 

 

clip_image007

 

 

Um comentário:

  1. Muito lindas as mensagens, adorei, muito esclarecedoras e inspiradoras... Muito Amor e Luz pra ti... Abraços

    R. B. Mattozzo ~> Blog Diretrizes da Vida

    ResponderExcluir

ADICIONE SEU COMENTÁRIO AQUI