Seguidores

quarta-feira, 27 de junho de 2012

EDUCAR PARA SALVAR

         EDUCAR

          PARA SALVAR


 

Diante dos dias conturbados por que passa a sociedade atual, só existe uma maneira eficiente de fazer com que desponte uma aurora límpida e bela, neste limiar do terceiro milênio: a educação.

Delante de los días conturbados por los que pasa la sociedad actual, sólo existe una manera edificante de hacer que despunte una aurora limpia y bella, en este comienzo del tercer milenio: la educación.


Somente através da educação bem sedimentada poderá surgir o homem renovado do século XXI.

Solamente a través de la educación bien sedimentada podrá surgir el hombre renovado del siglo XXI.


Mas, educar não significa apenas transmitir padrões sócio-culturais, nem acompanhar o desenvolvimento físico-intelectual da criança ou passar uma série de informações pela instrução formal.

Pero, educar no significa sólo transmitir patrones socio-culturales, ni acompañar el desarrollo físico-intelectual del niño o pasar una serie de informaciones por la instrucción formal.


A educação, bem entendida, consiste em formar o homem de bem, contemplando seu duplo aspecto: espiritual e físico.

La educación, bien entendida, consiste en formar al hombre de bien, contemplando su doble aspecto: espiritual y físico.


A violência grassa e desgraça, num mundo onde o ser humano vem perdendo o senso de fraternidade, de solidariedade, face aos conflitos de opiniões, às imposições do intelecto sobre o sentimento, à robotização que transforma o ser humano em máquina, a repetir atividades que lhe destroem a capacidade de criar, de enriquecer-se de novos valores espirituais.

La violencia se propaga y desgracia, en un mundo donde el ser humano viene perdiendo el sentido de la fraternidad, de solidaridad, en base a los conflictos de opiniones, a las imposiciones del intelecto sobre el sentimiento, a la robotización que transforma al ser humano en máquina, a repetir actividades que le destruyen la capacidad de crear, de enriquecerse de nuevos valores espirituales.


Educar, no sentido que o termo exige, é desenvolver, cultivar, fazer brotar, elevar, fazer crescer, não de maneira unilateral, mas de forma integral, para que o educando possa ser o cidadão honrado que todos desejamos encontrar na sociedade da qual fazemos parte.

Educar, en el sentido que el término exige, es desarrollar, cultivar, hacer brotar, elevar, hacer crecer, no de manera unilateral, sino de forma integral, para que el que recibe educación pueda ser el ciudadano honrado que todos deseamos encontrar en la sociedad de la cual formamos parte.


E para que se atinja esse grandioso objetivo será preciso, antes de tudo, duas premissas básicas: amor e auto-educação.

Y para que se alcance ese grandioso objetivo será preciso, antes de todo, dos premisas básicas: el amor y la auto-educación.


Amar para educar e auto-educar-se para amar. Esse binômio: amor e auto-educação deverá ser o denominador comum para pais e mestres.

Amar para educarse y auto-educarse para amar. Ese binomio: amor y auto-educación deberá ser el dominador común para padres y maestros.


Aos pais não basta amar, é preciso que seu amor seja firme, sem tirania, e terno, sem pieguice.

A los padres no basta amar, es preciso que su amor sea firme, sin tiranía, y tierno, sin sentimentalismos.


Aos mestres não basta instruir, transmitir informações áridas, sem o real enriquecimento do conteúdo com o tempero do afeto.

A los maestros no basta instruirlos, transmitir informaciones áridas, sin el real enriquecimiento del contenido con el paliativo del afecto.


É preciso que haja uma conjugação de forças entre pais e mestres para que se logre êxito na reforma moral da humanidade.... Para que se possa ver o despontar da verdadeira aurora do terceiro milênio...

Es preciso que haya una conjugación de fuerzas entre padres y maestros para que se logre éxito en la reforma moral de la humanidad…. Para que se pueda ver despuntar de la verdadera aurora del tercer milenio…


É preciso que o ser humano passe a ser o tesouro mais valioso do planeta, para que entenda o papel que lhe cabe na obra do Criador.

Es preciso que el ser humano pase a ser el tesoro más valioso del planeta, para que entienda el papel que le cabe en la obra del Creador.


É preciso que não se tente resumir o ser humano a uma simples máquina de fazer sexo, fabricar dinheiro, se projetar sob as luzes transitórias dos holofotes da fama.

Es preciso que no se intente resumir al ser humano a una simple máquina de hacer sexo, fabricar dinero, proyectándose bajo las luces transitorias de los proyectores de la fama.


É preciso que se compreenda a realidade imortal do homem.

Es preciso que se comprenda la realidad inmortal del hombre.


É preciso que se entenda, de vez por todas, que o ser humano não é um amontoado de ossos e músculos, numa breve experiência espiritual.

Es preciso que se entienda, de una vez por todas, que el ser humano no es un montón de huesos y músculos, en una breve experiencia espiritual.


O homem é um ser espiritual, imortal, vivendo uma breve experiência num corpo carnal, frágil e perecível, que caminha na direção do túmulo.

El hombre es un ser espiritual, inmortal, viviendo una breve experiencia en un cuerpo carnal, frágil y perecible, que camina en la dirección del túmulo.


E, por fim, é preciso que se viva como ser imortal, que terá que prestar contas dos seus atos à consciência cósmica e à própria consciência, assim que se desembaraçar da carne.

Y, por fin, es preciso que se viva como ser inmortal, que tendrá que prestar cuentas de sus actos a la conciencia cósmica y a la propia conciencia, así que se desembarace de la carne.


Se pais e mestres, que geralmente também são pais, amassem para bem educar e se auto-educassem para amar, o panorama do mundo se transformaria em pouco tempo, para melhor.

Si padres y maestros, que generalmente también son padres, amasen para educar bien y auto-educarse para amar, el panorama del mundo se transformaría en poco tiempo, para mejor.


Veríamos no lar, que é a primeira escola, as crianças aprendendo o respeito ao semelhante, a dignidade, a honradez, a liberdade intelectual, o respeito a si mesma e ao próximo.

Veríamos en el hogar, que la primera elección, los niños aprendiendo el respeto al semejante, la dignidad, la honradez, la libertad intelectual, el respeto a si mismo y al prójimo.


E, na escola, com mestres conscientes do seu nobre dever, aprenderiam as lições para iluminar o intelecto, mas sempre acompanhadas com os componentes do amor e da ternura.

Y, en la escuela, con maestros conscientes de su noble deber, aprenderían las lecciones para iluminar el intelecto, pero siempre acompañadas con los componentes del amor y la ternura.


Eis uma receita infalível...

He ahí una receta infalible...


Eis a solução para banir, definitivamente, a violência da face da Terra.

He ahí la solución parar borrar, definitivamente, la violencia de la faz de la Tierra.

 

Pense nisso!

¡Piense en eso!

 

A educação sem um propósito de transcendência é uma idéia vazia e estreita e pode sempre se tornar instrumento de manipulação dos poderes sociais.

La educación sin un propósito de trascendencia es una idea

vacía y estrecha y puede siempre volverse instrumento de manipulación de los poderes sociales.

 

Equipe de Redação do Momento Espírita, com base no livro A Educação da nova era, introdução e cap. VIII, de Dora Incontri, ed. Comenius.

Equipo de Redacción del Momento Espírita, con base en el libro La Educación de la nueva era, introducción y cap. VIII, de Dora Incontri, ed. Comenius.

 

http://www.momento.com.br

 

 


Modelar uma estátua e dar-lhe vida é belo; modelar uma inteligência e dar-lhe verdade é sublime.

Modelar una estatua y darle vida es bello;

modelar una inteligencia y darle verdad es

Sublime.

 

                                            Victor Hugo

                                            Escritor francês

                                            Escritor francés

                                            1803 à 1885                                       

 

                                              clip_image001

 

                                             Com esta mensagem eletrônica

                                             seguem muitas vibrações de paz e amor

                                          para você.

                                     Con este mensaje electrónico

                                            siguen muchas vibraciones de paz y amor

                                             para usted.

 

                                          clip_image002 

 

ADE-SERGIPE

Aracaju-Sergipe-Brasil

Em: 14.06.2012

Mensaje traducido por Isabel Porras-España

Na Terra e na nossa Vida devemos ter como o objetivo desenvolver o sentimento do Amor conosco e para com os nossos semelhantes

 

clip_image001

MENSAGEM EM PORTUGUÊS-ESPAÑOL-ENGLISH

 

5º ENCONTRO NACIONAL DOS AMIGOS DE CHICO XAVIER-Português

Este encontro é o melhor Evento do Brasil nos últimos tempos- Imperdível!

GRUPOS ESPÍRITAS DA DINAMARCA-Português

NÓS E O MUNDO-Português

A INESQUECÍVEL PERGUNTA - Português

PROGRAMA DO VI-CONGRESSO MÉDICO-MG-Português-Anexo
DR. BEZERRA NA ESPIRITUALIDADE-PPS-
Português/Español-Anexo

EL CIEGO DE BETSAIDA-Português/Español

Livro: No Princípio Era o Verbo-Português-Veja!

 

clip_image002

Queridos amigos. Luz e Amor para o Planeta

Novas mensagens de Amor para a sua Vida.

Veja os Textos e Anexos.Divulguemos...

Com votos de Paz para nós e para a Terra, somos,

 

João Cabral-Presidente da ADE-SERGIPE

Website: www.ade-sergipe.com.br

Vídeos. Links. TVs. Rádio Online. Fotos. Pesquisas. Veja, agora.

Em: 25.06.2012
Aracaju-Sergipe-Brasil

 

clip_image003

 

Reenviando esta Mensagem, pois, nesta está a mensagem completa. Leia!

Prezados amigos do Ideal Espírita

clip_image004

 

Esta mensagem tem como objetivo contar um pouco sobre o que nosso grupo espírita tem vivenciado e agradecer à imensa ajuda que o Dr. Sergio Thiesen tem dado, não só ao nosso grupo, mas ao movimento espírita na Dinamarca em geral.

Somos um pequeno grupo espírita, formado em sua maioria por brasileiros, que atua em Copenhagen – Dinamarca. Nosso grupo chama-se GEEAK – Grupo de Estudos Espíritas Allan Kardec e foi fundado em 2002. Estamos, portanto, comemorando 10 anos de existência.

Nesses 10 anos temos constantemente lutado contra forças espirituais externas, que se aproveitavam de nossas dificuldades pessoais para enfraquecer o grupo. Estávamos sempre vivenciando separações e desavenças. O GEEAK cambaleou inúmeras vezes e chegou perto de encerrar suas atividades.

Por sugestão de amigos de outros países, buscamos auxílio do amigo Dr. Sérgio Thiesen, que já havia visitado a Dinamarca e outros países escandinavos, proferindo palestras de alto nível e que se dispôs imediatamente a nos ajudar. Através de contatos frequentes, ele pode nos orientar em tudo o que precisava ser aperfeiçoado nas nossas atividades e na nossa postura e atitudes pessoais, para o bom andamento das atividades no Centro Espírita. Instruiu-nos, ao longo de meses, criando entre nós, as condições de fortalecimento nas bases sólidas da Doutrina Espírita e nos parâmetros do Evangelho de Jesus.

Viajou a Copenhagen agora em maio, realizando palestras e reuniões de esclarecimento, reunindo todos os grupos espíritas da Dinamarca e sugerindo diretrizes seguras em apoio às nossas atividades. Ressaltou conosco sobre o trabalho de Unificação, para um Movimento Espírita sólido e capaz de difundir o Espiritismo para os dinamarqueses, tão carentes do norteamento que a Doutrina enseja. Sua estada conosco por uns poucos dias, tornou-se, para nós, um marco na história do Espiritismo entre nós.

Seguimos trabalhando, agora com mais alegria, otimismo, segurança, consciência, compreensão, devotamento e amor à Causa.

Muita Luz!

 

Grupo de Estudos Espíritas Allan Kardec, Copenhagen – Dinamarca

Casa de Estudos Espírita Allan Kardec – Dinamarca

SESD – SpiritistEducationalSocietyDenmark

Maio/Junho de 2012

clip_image005

 

NÓS  E  O  MUNDO

Emmanuel

“Dai e ser-vos-á dado” JESUS - LUCAS, 6: 38.

 

“Vós, porém, que vos retirais do mundo, para Me evitar as seduções e viver no insulamento,
que utilidade tendes na Terra?
Onde a vossa coragem nas provações, uma vez que fugis à luta e desertais a combate?” Cap.05, 26.

 

 Muitos religiosos afirmam que o mundo é poço de tentações e culpas, procurando o deserto para acobertar a pureza, entretanto, mesmo ai, no silencioso retiro em que se entregam a perigoso ócio da alma, por mais humildes se façam, comem, os frutos e vestem a estamenha que o mundo lhes oferece.

Muitos escritores alegam que o mundo é vasto arsenal de incompreensão e discórdia, viciação e delinqüência, Como quem se vê diante de um serpentário, contudo, é no mundo que recolhem o precioso material em que gravam as próprias idéias e encontram os leitores que lhes compram  os livros.

Muitos pregadores clamam que o mundo é vale de malicia e perversidade, qual se as criaturas humanas vivessem mergulhadas em piscina de lodo, todavia, é no mundo que adquirem.

os conhecimentos com que ornam o próprio verbo e acham os ouvintes que lhes registram respeitosamente a palavra.

Muitas pessoas dizem que o mundo é antro de perdição em que as trevas do mal senhoreiam a vida, no entanto, é no mundo que receberam o regaço materno para tomarem o arado da e experiência é no mundo que se nutrem confortavelmente a fim de demandarem mais altos planos evolutivos.

O mundo, porém, obra-prima da Criação, indiferentes às acusações gratuitas que lhe são desfechadas, prossegue florindo e renovando, guiando o progresso e sustentando as esperanças da Humanidade.

Fugir de trabalhar e sofrer no mundo, a título de resguardar a virtude, é abraçar o egoísmo mascarado de santidade.

O aluno diplomado em curso superior não pode criticar a bisonhice das mentes infantis, reunidas nas linhas primárias da escola.

Os bons são realmente bons se amparam os menos bons.

Os sábios fazem jus à verdadeira sabedoria se buscam dissipar a névoa da ignorância.

O Espírita, na essência, é o cristão chamado a entender e auxiliar.

Doemos, pois, ao mundo ainda que seja o mínimo do máximo que recebemos dele, compreendendo e servindo aos outros, sem atribuir ao mundo os erros e desajustes que estão em nós.

 

Extraído do livro " O Livro da Esperança" - Psicografado por FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER

Luz do Evangelho

Emmanuel – 731 Nós e o Mundo

31 de janeiro de 2012

 

clip_image006

 

 

El ciego de Bethsaida

12. – Habiendo llegado a Bethsaida, le trajeron a un ciego que le rogaba que lo tocase. Y, tomando al ciego por la mano, lo sacó fuera de la población; le colocó saliva sobre los ojos, y habiéndole impuesto las manos, le preguntó si veía algo. – Ese hombre, mirando, dijo: Veo andar hombres que se asemejan a árboles. – Jesús le puso una vez más las manos sobre los ojos, y él comenzó a ver mejor;; y, en fin, fue de tal modo curado, que veía claramente todas las cosas. En seguida lo envió para su casa diciendo: Ve a casa; y si entras en la aldea, no digas a nadie lo que te ocurrió. (San Marcos, Cap. VIII, v. de 22 al 26).

13. – Aquí, el efecto magnético es evidente; la curación no fue instantánea, sino gradual y como consecuencia de una acción firme y reiterada, aunque más rápida que en la magnetización ordinaria. La primera sensación de este hombre fue realmente la que experimentan los ciegos que recobran la luz; por un efecto óptico, los objetos parecen de un tamaño desmesurado.

Allan Kardec

Extraído del libro "La Génesis"
Mari Carmen-España

clip_image007

 

Cuidar do Corpo e do Espírito

11. Consistirá na maceração do corpo a perfeição moral? Para resolver essa questão, apoiar-me-ei em princípios elementares e começarei por demonstrar a necessidade de cuidar-se do corpo que, segundo as alternativas de saúde e de enfermidade, influi de maneira muito importante sobre a alma, que cumpre se considere cativa da carne. Para que essa prisioneira viva, se expanda e chegue mesmo a conceber as ilusões da liberdade, tem o corpo de estar são, disposto, forte. Façamos uma comparação: Eis se acham ambos em perfeito estado; que devem fazer para manter o equilíbrio entre as suas aptidões e as suas necessidades tão diferentes? Inevitável parece a luta entre os dois e difícil achar-se o segredo de como chegarem a equilíbrio.
 
Dois sistemas se defrontam: o dos ascetas, que tem por base o aniquilamento do corpo, e o dos materialistas, que se baseia no rebaixamento da alma. Duas violências quase tão insensatas uma quanto a outra. Ao lado desses dois grandes partidos, formiga a numerosa tribo dos indiferentes que, sem convicção e sem paixão, são mornos no amar e econômicos no gozar. Onde, então, a sabedoria? Onde, então, a ciência de viver? Em parte alguma; e o grande problema ficaria sem solução, se o Espiritismo não viesse em auxílio dos pesquisadores, demonstrando-lhes as relações que existem entre o corpo e a alma e dizendo-lhes que, por se acharem em dependência mútua, importa cuidar de ambos. Amai, pois, a vossa alma, porém, cuidai igualmente do vosso corpo, instrumento daquela. Desatender as necessidades que a própria Natureza indica, é desatender a lei de Deus. Não castigueis o corpo pelas faltas que o vosso livre-arbítrio o induziu a cometer e pelas quais é ele tão responsável quanto o cavalo mal dirigido, pelos acidentes que causa. Sereis, porventura, mais perfeitos se, martirizando o corpo, não vos tornardes menos egoístas, nem menos orgulhosos e mais caritativos para com o vosso próximo? Não, a perfeição não está nisso: está toda nas reformas por que fizerdes passar o vosso Espírito. Dobrai-o, submetei-o, humilhai-o, mortificai-o: esse o meio de o tornardes dócil à vontade de Deus e o único de alcançardes a perfeição. Jorge, Espírito Protetor. (Paris, 1863.).
 
(O Evangelho Segundo o Espiritismo - Capítulo XVII)
 

clip_image008 clip_image009

A INESQUECÍVEL PERGUNTA

 

O “Parnaso de Além Túmulo”, com o carinhoso entusiasmo de Manoel Quintão, foi lançado em julho de 1932.E no mesmo mês, o padre Julio Maria, de Manhumirim, em Minas, no seu jornal “O lutador”, escreveu áspera critica, condenando o livro do médium.
Dentre outras coisas dizia que o Chico devia possuir uma pele de rinoceronte para caber tantos espíritos.
Os comentários irônicos e as acusações gratuitas eram tantos que o médium, inexperiente e muito jovem ainda, se sentiu demasiadamente chocado e foi constrangido buscar o leito.
“Então, a luta era aquela”? – pensava, com dor de cabeça.
Valia a pena ser médium e ficar exposto, assim, ao juízo temerário?
Seria justo aguentar aqueles xingatórios quando estava possuído das melhores intenções?
Por mais de duas horas se via em semelhante contenda intima, quando viu Emmanuel ao seu lado.
Contou ao mentor o que se passava e supôs que o espírito amigo o acariciaria sem restrições.
Emmanuel, porem, de pé, com severa fisionomia, falou-lhe firme:
- Mas eu não vejo razão para solenizar este assunto...
- Entretanto, o senhor está vendo... O padre disse que eu tenho uma pele de rinoceronte... – clamou o médium.
- Se não tem, precisa ter, - disse-lhe o protetor – porque se você quiser cultivar uma pele muito frágil, cairá sempre com qualquer alfinetada e não nos seria possível a viagem da mediunidade nos caminhos do mundo...
- Contudo, temos o nosso brio, a nossa dignidade – acrescentou o Chico – e é difícil viver com o desrespeito publico.
Foi então que Emmanuel o fitou com mais firmeza e exclamou:
- Escute. Se Jesus que era Jesus saiu da Terra pelos braços da cruz, você é que está esperando uma carruagem para viver entre os homens?
Quando ouviu a pergunta, o Chico levantou-se de um pulo e começou a reajustar-se.

 Do Livro: Lindos casos de Chico Xavier

Autor: Ramiro Gama

Questão 716: A NATUREZA NÃO TRAÇOU O LIMITE DO NECESSÁRIO EM NOSSA PRÓPRIA ORGANIZAÇÃO? Resposta: Sim, mas o homem é insaciável. (...).-Livro dos Espíritos, 65ª edição-tradução de J. Herculano Pires.

clip_image010

segunda-feira, 25 de junho de 2012

UMBRAL

UMBRAL - Parte 1
 

UMBRAL

por Maísa Intelisano - maisa@maisaintelisano.com.br

Segundo o Novo Aurélio a palavra “umbral” foi tomada do espanhol e significa soleira, limiar, entrada, ou seja, a faixa mínima de piso que se acha entre as laterais de uma porta, portão ou passagem e serve de limite entre um cômodo e outro numa construção.

Em 1943, André Luiz, o médico que se tornou conhecido psicografando livros pela mediunidade de Francisco Cândido Xavier, trouxe a público o significado dado à palavra na colônia espiritual “Nosso Lar”, onde passou a viver alguns anos depois de seu desencarne.

Em seu livro também chamado “Nosso Lar”, ele conta como ouviu falar do Umbral pela primeira vez, quando o enfermeiro Lísias lhe dava as primeiras informações sobre a colônia e descreveu-o como região onde existe grande perturbação e sofrimento e para a qual a colônia dedicava atenção especial.

Vejamos o que diz o enfermeiro:
“Quando os recém-chegados das zonas inferiores do Umbral se revelam aptos a receber cooperação fraterna, demoram no Ministério do Auxílio; ...”

E mais adiante, acrescenta:
“... A não ser em obediência a esse imperativo, o Governador vai semanalmente ao Ministério da Regeneração que representa a zona de “Nosso Lar” onde há maior número de perturbações, dada a sintonia de muitos dos seus abrigados com os irmãos do Umbral”.

Não foi sem razão que André Luiz teve seu interesse despertado para essa região chamada Umbral. Sem entender bem do que se tratava voltou a insistir com Lísias para saber mais detalhes e, no capítulo seguinte, vamos encontrá-lo conversando novamente com o enfermeiro sobre esta região do astral, que lhe pergunta como poderia não conhecer o Umbral se havia ficado lá por tantos anos.

Vejamos o que diz Lísias:
“O Umbral – continuou ele, solícito – começa na crosta terrestre. É a zona obscura de quantos no mundo não se resolveram a atravessar as portas dos deveres sagrados, a fim de cumpri-los, demorando-se no vale da indecisão ou no pântano dos erros numerosos”.

Mais adiante, diz também:
“... O Umbral funciona, portanto, como região destinada a esgotamento de resíduos mentais; uma espécie de zona purgatorial onde se queima, a prestações, o material deteriorado das ilusões que a criatura adquiriu por atacado, menosprezando o sublime ensejo de uma existência terrena”.

E em outro parágrafo, Lísias complementa:
“O Umbral é região de profundo interesse para quem esteja na Terra. Concentra-se aí tudo o que não tem finalidade para a vida superior. ... Representam fileiras de habitantes do Umbral, companheiros imediatos dos homens encarnados, separados deles apenas por leis vibratórias. ... Lá vivem, agrupam-se, os revoltados de toda espécie. ... Pois o Umbral está repleto de desesperados. Por não encontrarem o Senhor à disposição dos seus caprichos, ..., essas criaturas se revelam e demoram em mesquinhas edificações.“

Enfim, desde então, a palavra Umbral, escrita com inicial maiúscula, como o fez André Luiz no livro “Nosso Lar”, tomou significado especial, principalmente entre os espíritas, designando a região espiritual imediata ao plano dos encarnados, para onde iriam e onde estariam todos os espíritos endividados, perturbados e desequilibrados depois da vida.

Com esta conotação a palavra difundiu-se muito e transformou-se num quase sinônimo do Inferno e do Purgatório dos católicos, com localização geográfica, tamanho, etc., conceito este que o próprio Allan Kardec, codificador do Espiritismo, já havia desmistificado em suas obras, mais de 80 anos antes, especialmente em “O Livro dos Espíritos”, nas seguintes perguntas:

“1011. Um lugar circunscrito no Universo está destinado às penas e aos gozos dos Espíritos, segundo seus méritos?
“- Já respondemos a essa pergunta. As penas e os gozos são inerentes ao grau de perfeição do Espírito. Cada um traz em si mesmo o princípio de sua própria felicidade ou infelicidade. E como eles estão por toda a parte, nenhum lugar circunscrito ou fechado se destina a uns ou a outros. Quanto aos Espíritos encarnados, são mais ou menos felizes ou infelizes segundo o grau de evolução do mundo que habitam.

“1012. De acordo com isso, o Inferno e o Paraíso não existiriam como os homens representam?
“- Não são mais do que figuras: os Espíritos felizes e infelizes estão por toda a parte. Entretanto, como já o dissemos também, os Espíritos da mesma ordem se reúnem por simpatia. Mas podem reunir-se onde quiserem, quando perfeitos”.

Como vemos pelas respostas dos espíritos a Kardec, o inferno e o paraíso não passam de estados de espírito, condição moral de sofrimento ou felicidade a que estão sujeitos os espíritos por suas próprias atitudes, pensamentos e sentimentos durante a vida encarnada e depois dela. E é bom lembrar que espíritos somos todos, encarnados e desencarnados, vivendo cada um o seu inferno e o seu paraíso particulares. O que nos diferencia dos espíritos desencarnados é apenas o fato de estarmos temporariamente presos a um corpo denso de carne. De resto, somos absolutamente iguais a eles, com desejos, opiniões, frustrações, alegrias, defeitos e qualidades.

Na verdade, a figura geográfica e espacial do inferno dos católicos serviu de molde aos espíritas para que melhor visualizassem o que seria o Umbral, assim como o inferno da Igreja Católica foi tomado emprestado e adaptado do inferno dos povos pagãos para compor os mitos de inferno e paraíso.

Pelo que dizem os espíritos a Kardec podemos concluir que cada um de nós traz, em si mesmo, o inferno e o paraído que merece, de acordo com o que pensa, sente e faz durante sua vida espiritual, incluídos aí também os períodos em que se encontra encarnado.

Se não existe inferno ou purgatório porque haveria de existir o Umbral com localização, medidas, coordenadas, etc.?

Tudo o que existe no plano espiritual é criado pela mente dos espíritos encarnados e desencarnados. Sempre que pensamos nossa mente dispara um processo pelo qual somos capazes de moldar as energias mais sutis do universo, criando formas que correspondem exatamente àquilo que somos intimamente.

Extremamente apegados ao mundo material, nada mais natural que, mesmo estando fora dele, queiramos tê-lo novamente quando desencarnados. É aí que nossa mente entra em ação, criando tudo o que desejamos ardentemente. E várias mentes desejando a mesma coisa juntas têm muito mais força para criar.

A grande diferença é que, no mundo físico, podemos embelezar artificialmente o nosso ambiente e a nossa aparência, enquanto que no plano astral isso não é possível, pois lá todos os nossos defeitos, mazelas, falhas, paixões, manias e vícios ficam expostos em nossa aura, exibindo claramente quem somos como consciências e não como personalidades encarnadas.


 
 

UMBRAL Cont…

por Maísa Intelisano - maisa@maisaintelisano.com.br

No Umbral, tudo o que está fora de nós é conseqüência do que está dentro. Tudo o que existe em nosso mundo pessoal e nos acontece é reflexo do que trazemos na consciência. Assim, o Umbral nada mais é que uma faixa de freqüência vibratória a que se ligam os espíritos desequilibrados, cujos interesses, desejos, pensamentos e sentimentos se afinizam. É uma “região” energética onde os afins se encontram e vivem, onde podem dar vazão aos seus instintos, onde convivem com o que lhes é característico, para que um dia, cansados de tanto insistirem contra o fluxo de amor e luz do universo, entreguem-se aos espíritos em missão de resgate, que estão sempre por lá em trabalhos de assistência.

Alguns autores descrevem o Umbral como uma seqüência de anéis que envolvem e interpenetram o planeta Terra, indo desde o seu núcleo de magma até várias camadas para fora de seus limites físicos.

O que acontece é que os espíritos se reúnem obedecendo, apenas e unicamente, à sintonia entre si e acabam formando anéis energéticos em torno do planeta, ou melhor, em torno da humanidade terrena, pois ela é parte da humanidade espiritual que o habita e é também o foco de atenção de todos os desencarnados ligados a ele.

As camadas descritas em alguns livros são mais um recurso didático para facilitar o entendimento e o estudo do mundo espiritual, pois não há limites precisos entre elas, assim como não há divisas exatas entre um bairro e outro de uma mesma cidade, ainda que eles sejam de classes sociais bem diferentes.

É exatamente o que nos diz Lancellin, em seu livro "Iniciação - Viagem Astral", pela psicografia de João Nunes Maia: “As pessoas, como os espíritos desencarnados, se reúnem por simpatia, por atração daquilo que pensam e sentem, pois se sentem felizes por estarem com os seus iguais, tanto na Terra como no mundo espiritual.”

Esse mesmo mecanismo de sintonia é o que cria regiões “especializadas” no Umbral, como o Vale dos Suicidas, descrito por Camilo Castelo Branco, pela psicografia de Yvonne A. Pereira, em seu livro "Memórias de um Suicida". Espíritos com experiências de suicídio, vivendo os mesmos dramas, sofrimentos, dificuldades, agrupam-se por pura afinidade e formam regiões vibratórias específicas. Assim também acontece com faixas energéticas ligadas às drogas, ao aborto, aos distúrbios psíquicos, às guerras, aos desequilíbrios sexuais, etc.

Em seu livro "Driblando a Dor", pela psicografia de Irene Pacheco Machado, o espírito Luiz Sérgio, jovem desencarnado em acidente de automóvel na década de 70, conta o trabalho de sua equipe junto a grupos de drogados e traficantes. Em outro de seus livros, "Deixe-me Viver", pela psicografia da mesma médium, ele fala mais especificamente da situação dos espíritos abortados e aborteiros, vivendo lado a lado na faixa vibratória de seus atos.

No livro "O Abismo", de R. A. Ranieri, orientado por André Luiz, vamos encontrar uma descrição dramática dos espíritos que vivem ligados ao subsolo do planeta, em condições terríveis de degradação moral e perispiritual.

O Prof. Wagner Borges, pesquisador de projeção astral e fundador do IPPB – Instituto de Pesquisas Projeciológicas e Bioenergéticas, também nos traz diversos relatos e psicografias importantes sobre o assunto. Em seu livro "Viagem Espiritual", em duas mensagens orientadas pelo espírito Rama, ele descreve imagens do Umbral vistas pelos olhos de um padre desencarnado dedicado a ajudar e resgatar espíritos que vivem ali.

No livro "O Céu e o Inferno", de Allan Kardec, encontramos também diversos relatos de espíritos desencarnados que se apresentam pela psicofonia e descrevem as condições em que se encontram no mundo espiritual. Ali, além do relato de vários espíritos perturbados, vamos também encontrar relatos de espíritos relativamente felizes, alguns apenas algumas horas após o seu desencarne, demonstrando que céu e inferno são condições espirituais íntimas, alcançadas por merecimento, que acompanham o espírito onde quer que ele esteja e se mantêm e intensificam pela sintonia com outros espíritos nas mesmas condições.

Apesar de toda perturbação e desequilíbrio dos espíritos que vivem no Umbral, não devemos nos iludir. Existe muita disciplina, organização e hierarquia nos ambientes umbralinos. É o que nos mostra, por exemplo, o espírito Ângelo Inácio, pela psicografia de Robson Pinheiro, em seu livro "Tambores de Angola", e o espírito Nora, pela psicografia de Emanuel Cristiano, em seu livro "Aconteceu na Casa Espírita". Vemos ali o quanto esses espíritos podem ser inteligentes, organizados, determinados e displinados em suas práticas negativas, criando instituições, métodos, exércitos e até cidades inteiras para servir aos seus propósitos.

É preciso que compreendamos que todos nós já estamos vivendo numa dessas “camadas” de Umbral que envolvem a Terra e que todos nós criamos o nosso próprio Umbral particular sempre que contrariamos as leis divinas universais, as quais podem ser resumidas numa única expressão: amor incondicional.

Em seu segundo livro, "Os Mensageiros", André Luiz conta a história de vários moradores de “Nosso Lar” que passaram pelas “zonas inferiores”. Todos eles saíram da colônia cheios de esperanças, de amigos, de auxílio e orientação. Eram, portanto, espíritos relativamente esclarecidos, amparados, iluminados. Muitos deles passaram anos na colônia estudando antes de reencarnar com missões definidas na mediunidade. No entanto, mesmo assim, vários deles se deixaram levar por seu lado ainda imperfeito e falharam novamente. Todos voltaram para “Nosso Lar” depois de desencarnados, mas não sem antes passar pelo Umbral, para drenar energias negativas acumuladas numa encarnação de descaso e irresponsabilidade com a própria consciência e a de outros.

Isso é necessário para o bem do próprio espírito a fim de que ele possa se livrar de energias espirituais altamente tóxicas que desequilibram e bloqueiam sua mente para energias mais sutis e saudáveis e também porque nesse estado eles perturbariam os ambientes mais equilibrados, como o de colônias como “Nosso Lar”, caso fossem levados para lá nesse estado.

É importante notar que não se trata de punição ou banimento, mas de tratamento justo, necessário e amoroso. Sim, o Umbral é criação de amor e justiça divinos, onde espíritos desviados e profundamente desequilibrados encontram um meio onde conseguem viver e, ao mesmo tempo, aprender, enquanto se recuperam.

Muitos perguntam se não é pior o espírito ficar tanto tempo convivendo com tantas energias negativas semelhantes às suas próprias, agravando e intensificando seu próprio desequilíbrio. No entanto, não podemos nos esquecer que, muitas vezes, os espíritos desencarnam em tal estado de alheamento e perturbação, que não resta outro recurso a não ser deixar que a natureza siga seu curso e faça o trabalho necessário de depuração, colocando-os com seus semelhantes para que, juntos, filtrem, uns dos outros, as energias que os envenenam, e para que, observando as atitudes uns dos outros, possam compreender onde erraram e queiram reiniciar o processo de melhoria interior.

A Caridade na Doutrina Espirita significa Benevolencia-Indulgencia e Perdão a si e aos semelhantes-E.S.E.

 

clip_image001

MENSAGEM EM PORTUGUÊS-ESPAÑOL-ENGLISH

CURSO BÁSICO DA DOUTRINA ESPÍRITA-Português
LOS ESPÍRITAS Y LA BÍBLIA-Español
INTERCÂMBIO COM ESPÍRITAS DA DIN
AMARCA-Português
ANIVERSÁRIO DA CASA DA PRECE-Português
LIVRO/VIDEO- ISABEL QUE GOVERNOU COM O CORAÇÃO-Português

DANCE COMIGO UMA COMÉDIA ESPÍRITA-Imperdível! Português
CHICO XAVIER-22 HORAS POR DIA-Português

CURACIONES PERDIDA DE SANGRE-Español

VÍDEOS-ALLAN KARDEC EL EDUCADOR-Português/Español

 

Queridos amigos. Luz e Amor, sempre

Novas mensagens de Amor para Você

Com votos de paz o amigo, agradecido.

Feliz fim de Semana!

 

João Cabral-Presidente da ADE-SERGIPE

Website: www.ade-sergipe.com.br

Vídeos. Mensagens. TVs. Rádio Online-clique e ouça, agora.

Aracaju-Sergipe-Brasil
Em: 23.06.2012

 

clip_image002

 

Queridos hermanos en el Ideal;
Envio a Uds. estos Videos sobre ALLAN KARDEC EL EDUCADOR SUBTITULADOS AL ESPAÑOL.
especialmente, para nuestros hermanos que recien empiezan a conocer la Doctrina Espírita.
 
Parte 1º
http://www.youtube.com/watch?v=9ORGC2Qt0lI&feature=related

Parte 2da
http://www.youtube.com/watch?v=-0HEILkubIQ&feature=relmfu
 
Parte 3era
http://www.youtube.com/watch?v=ADOEcQogB5Y&feature=relmfu
 
Parte 4ta
http://www.youtube.com/watch?v=cWdkPomJyYo&feature=relmfu
 
Parte  final 5ta
http://www.youtube.com/watch?v=w3wE7UUa7Jw&feature=relmfu
 
Pido, si alguien puede hacer un DVD, por favor informar.
 
Dios los bendigaclip_image003,

Gina de Rezkalah
 
   Centro Espírita "Amalia Domingo Soler"
Jr. Salaverry Nº 632-1 A Magdalena del Mar
                  Lima-Perú
263-3201              Cel: 991180873
     rezkalah5@hotmail.com
www.amaliadomingosoler.divulgacion.org
http://amaliadomingosoler-lima.webnode.es/

Lindos! Muchas Gracias – João Cabral-Ade-Sergipe-Brasil.

 

clip_image004

 

clip_image005

LOS ESPÍRITAS Y LA BIBLIA

Los espíritas no consideran A la Biblia como “la palabra de Dios”, sino como el punto de inicio de la Civilización Cristiana que aún se encuentra en fase de desarrollo en la Tierra. La Biblia representa la Codificación de la I Revelación del ciclo de las revelaciones cristianas. Tras ella viene El Evangelio, que es la Codificación de la II Revelación, hecha por el propio Cristo. Y tras el Evangelio tenemos El Libro de los Espíritus, seguido de los demás libros de la Codificación Espírita.

En la Biblia, que es el Viejo Testamento, codificación de los libros sagrados del Judaísmo, hecha bajo la orientación de Esdras después del exilio de Babilonia, encontramos la revelación del plan de Dios para la Humanidad Terrena. Como parte central de ese plan vemos el anuncio del Mesías, que los judíos esperaban pero que no fueron capaces de reconocer cuando llegó. En el Evangelio, codificación de las enseñanzas de Jesús por los apóstolos y evangelistas, encontramos el anuncio del Espíritu de la Verdad - aquel que restablecería la verdad cristiana en la Tierra y prepararía nuestro planeta para el milenio de luz, o sea, el inicio de una nueva era en que el Reino de Dios vendría entre los hombres. En el Espiritismo tenemos las voces del más allá instaurando el Reino en los corazones y en las conciencias esclarecidas.

Cada uno de esos libros se compone, en verdad, de muchos libros. Y cada una de esas colecciones de libros corresponde a una fase del largo y doloroso proceso de ascenso de los hombres hacia la divinidad. Ni la Biblia, ni los Evangelios, ni la Codificación Espírita merecen ser desconocidos y ninguno de esos códigos puede ser depreciado en su valor histórico, profético y divino por aquellos que realmente comprenden la grandeza del Plan de Dios. No es posible oponer el Evangelio a la Biblia u oponer el Espiritismo al Cristianismo, a menos que encaremos la obra de Dios a través de las lentes deformantes del sectarismo religioso.

La palabra de Dios, como expresión simbólica, no se restringe a ninguno de esos conjuntos de libros en particular, pero impregna a todos ellos. Cuando aprendemos a leerlos según el espíritu que vivifica, y no según la letra que mata - como advirtió el apóstol Pablo – percibimos la armoniosa secuencia que ellos representan, en el desarrollo del Plan de Dios en la Tierra. Todos ellos fueron escritos bajo la inspiración de los poderes superiores del Cielo, cada cuál destinado a una época, a un tipo de civilización, ha un grado específico de evolución espiritual alcanzado por los hombres. La palabra de Dios pasa por todas esas páginas como el fuego entre las zarzas. En las viejas páginas de la Biblia ella arde y quema como el fuego del Sinai, luchando para destruir la ignorancia humana. En las páginas estelares del Evangelio ella brilla como las estrellas, indicando a los hombres el guión del Infinito. En las páginas mediúmnicas de la Codificación Espírita la palabra de Dios se irradia en la Tierra como las luminarias nocturnas, que permiten la lectura comprensiva de los textos anteriores y ahuyentan las tinieblas de la superstición, del misticismo fanático, del sectarismo ciego.

Emmanuel en uno de sus mensajes, comparó a la Biblia con el esfuerzo desesperado de los hombres clamando a los cielos por socorro y el Evangelio como la respuesta del Cielo a los hombres. Pero la Codificación Espírita, como señaló Kardec, es la llave que nos permite comprender esa respuesta en la plenitud de su significado espiritual. Sin la llave del Espiritismo, la Biblia y el Evangelio dan motivos a muchas incomprensiones y divisionismos. Fue por eso que las guerras religiosas ensangrentaron los caminos del Cristianismo y las hogueras fratricidas transformaron en negro humo los divinos preceptos evangélicos. Además, es por eso que los cristianos se matan en nombre de Dios en la propia Europa de nuestros días, incapaces de percibir el crimen hediondo que practican.

De lado a lado los cristianos formalistas, apegados a sus interpretaciones particulares de las escrituras, se dicen apoyados en la palabra de Dios para practicar de nuevo el crimen de Caín. Les falta la llave de luz del Espiritismo, que les daría, por encima de las trincheras arrogantes del sectarismo, la visión global de la Revelación Cristiana que es la revelación de la paternidad universal de Dios, de la fraternidad universal de los hombres y de la inmortalidad universal de las almas. Sin comprender esa trilogía divina, que el Evangelio nos ofrece en sus páginas y la Codificación Espírita esclarece en definitiva, a la luz de la razón y de la fe, jamás seremos cristianos y jamás sabremos definir la palabra salvación.

J. HERCULANO PIRES

Mensaje traducido por Mari Carmen-España

 

clip_image006

 

INTERCÂMBIO COM OS ESPÍRITAS DA DINAMARCA


Olá Joao Cabral,

 

Obrigada pela Divulgacao, percebi que só foi divulgado a foto, que pena pois o texto e de grande importância, quando decidimos escrever estas singelas linhas na qual consideramos de grande importancia a nossa história escrevemos com muita sinceridade, expressando nossas dores, nossas alegrias e mais ainda a verdadeira demonstracao de que a espiritualidade maior nao havia nos esquecido. 

Mais ainda, nos enviou um amigo para ajudar-nos, levantar-nos, em meio a uma grande avalanche de perdas, dúvidas, desistências, vontade de continuar, mas prestes a desistir, perdidos e quase que se poderia dizer sentindo-nos abandonados. Gracas a Deus ficou num passado nao longinquo, que serviu de experiência para melhorarmos com o qual nao pudemos deixar de citar um dos motivos, a presenca praticamente diária de nosso amigo, já irmao Dr. Sergio Thiesen, nos auxiliando.Este amigo tornou-se a nossa luz no que tange o nosso crescimento pessoal e do Grupo.

Estamos muito felizes por esta chance. E mais ainda pelos resultados, pelo amor e pela uniao no qual nos encontramos atualmente, forte e seguros de que agora estamos aptos a continuar o nosso caminho Divulgacao o Espiritismo em terras estranhas, mas também podendo honradamente termos realmente nos tornado o que o Espiritismo prega.

 

Eu precisava deixar isto bem claro. Agradeco a sua atencao. 

 

Um grande abraco e vamos falando

 

Roseli Biker 

Geeak.dk

clip_image007

 

Curaciones, pérdida de sangre

10. – Entonces, una mujer, enferma hacía doce años, con una pérdida de sangre, – que había sufrido mucho en manos de varios médicos, y que habiendo gastado todos sus bienes, no recibió ningún alivio, al contrario se hallaba cada vez peor, – habiendo oído hablar de Jesús, vino por detrás entre la multitud, y tocó sus vestiduras; porque ella decía: Si sólo pudiere tocar sus vestiduras, estaré curada. – Y en el mismo instante, el flujo de sangre que perdía secó y sintió en su cuerpo que estaba curada de aquella enfermedad.

En el mismo instante conociendo Jesús en sí mismo la virtud que de él había salido, volviéndose hacia el medio de la multitud, dijo: ¿Quién tocó mis vestidos? – Sus discípulos le dijeron: ¿Ved la multitud que os está apretando por todos lados, y preguntáis quién os tocó? – Y miraba todo a su alrededor para ver aquella que lo había tocado. Entonces la mujer, que sabía lo que había acaecido con ella, llena de miedo y de pavor, vino a lanzarse a sus pies, y le declaró toda la verdad. – Y Jesús le dijo: Hija tu fe te ha salvado. Ve en paz y queda libre de tu enfermedad. (San Marcos, Cap. V, v. del 25 al 34).

11. – Estas palabras: “Conociendo en sí mismo la virtud que de él había salido”, son significativas; expresan el movimiento fluídico que se operó de Jesús para la mujer enferma; ambos habían sentido la acción que acababa de producirse. Es notable que el efecto no fue provocado por ningún acto de la voluntad de Jesús; él no hizo ni magnetización ni imposición de las manos. La irradiación fluídica normal bastó para operar la curación. Pero ¿por qué esa irradiación se dirigió a esta mujer, antes que a otros, puesto que Jesús no pensaba en ella, y estaba rodeado por la multitud? La razón de eso es muy simple.

El fluido, administrado como materia terapéutica, debe alcanzar el desorden orgánico para repararlo; puede ser dirigido sobre el mal por voluntad del curador, o atraído por el deseo ardiente, la confianza, en unas palabras, la fe del enfermo. Con relación ala corriente fluídica, el primer hecho tiene el efecto de una bomba compresora y el segundo de una bomba aspirante. A veces, es necesaria la simultaneidad de los dos efectos, otras veces, uno solo basta, fue lo segundo lo que ocurrió en esta circunstancia. Jesús tenía, razón al decir: “tu fe te ha salvado”.

Se comprende aquí que esta fe no es la virtud mística, tal como ciertas personas la entienden, sino una verdadera fuerza atractiva, mientras que quien no la tiene opone a la corriente fluídica una fuerza repulsiva, o al menos una fuerza de inercia, que paraliza la acción. Según esto, se comprende que dos enfermos afligidos por el mismo mal, en presencia de un curador, uno puede ser curado y el otro no. Está ahí uno de los principios más importantes de la mediumnidad curativa que explica, por una causa muy natural, ciertas anomalías aparentes. (Cap. XIV, N° 31, 32, 33).

Allan Kardec
Extraído del libro "La Génesis"
Mari Carmen

clip_image008

Caros irmão da Família Espírita
 
Venho informar e convidar a todos a participarem das comemorações do aniversário do Grupo Espírita da Prece, conforme programação abaixo:
 
 
Dia 25 de junho (segunda-feira) às 19:30 hs:
Local: Grupo Espírita da Prece na Travessa José Zuckman, 292, bairro América - Aracaju / SE

- Exibição do filme "As Mães de Chico Xavier"
 
Dia 26 de junho (terça-feira) às 19:30 hs:
Local Auditório da FEES
 
Palestra: "Senhor, Que Queres Que Eu Faça?"
Palestrante: Célia Diniz   (Presidente do Centro Espírita Luíz Gonzaga de Pedro Leopoldo/MG)
 

 
Dia 27 de junho (quarta-feira) às 19:00 hs:
Local: Grupo Espírita da Prece na Travessa José Zuckman, 292, bairro América - Aracaju / SE

Coral Jesus Gonçalves do Grupo de Trabalho Caminho da Redenção
 
Palestra: "A Importância de Chico Xavier na Divulgação do Evangelho de Jesus"
 
Palestrante: Célia Diniz (Presidente do Centro Espírita Luíz Gonzaga de Pedro Leopoldo/MG)

 

 

Local da última ceia de Jesus com seus discípulos. Ismael Gobbo

clip_image009

 

A Casa de Chico Xavier de Pedro Leopoldo através da Vinha de Luz Editora, em lembrança aos

85 anos da aparição do espírito de Isabel de Aragão, a veneranda Rainha Santa de Portugal e Algarves,  ocorrida em 10 de Julho de 1927 a Chico Xavier para inspirar-lhe o início das tarefas da caridade em nome do Cristo, convida para o lançamento da obra : ISABEL - A MULHER QUE REINOU COM O CORAÇÃO de autoria da portuguesa Maria José Cunha.

Clique em Isabel e Veja o Lindo Vídeo!

clip_image011

 

NO MUNDO"

REAPRESENTA:

"Dance Comigo"

Uma comédia Espírita
Dia 06 de Julho no Teatro Atheneu/Aracaju/Sergipe

Olá, irmãos!
Queremos mais uma vez informar do nosso espetáculo. Vocês não vão se arrepender! É um espetáculo que reúne : MÚSICA, DANÇA E TEATRO". Já está bem próximo. Reservem este dia na agenda de vocês. Colaborem! É em prol do "LAR IRMÃ CLARICE".
Desde já, agradecemos.
Que as
festas juninas tragam saúde e paz para todos!
Abraços,
 
Cleber e Grande Elenco. 
clip_image012

VINTE E DUAS HORAS POR DIA-Chico Xavier

 

O Chico [Xavier] chegava a trabalhar vinte e duas horas por dia. Muitas vezes eu estava “verde” de tanto cansaço e ele, forte, firme, como que “inteiro”. Nunca vi em um ser humano tanta resistência, boa vontade e amor.

No final de 1998, fiz um balanço “por cima”, com o Chico trabalhando somente dez horas por dia - isto era somente para ter uma ideia muito vaga do quanto ele trabalhava.

Deste cálculo encontrei 453.076 (quatrocentos e cinquenta e três mil e setenta e seis) horas de serviço prestado no bem, com amor, humildade e muita disciplina. Sempre percebi que a disciplina lhe fazia muito bem, porque ele obedecia a toda orientação do Emmanuel, na íntegra.

Ele aprendeu a seguir fielmente, ouvindo sempre o seu amigo e guia espiritual.

Já vi o Chico atravessar a noite trabalhando, levantava, tomava um banho e voltava ao trabalho, sempre no anonimato, por amor, e entregou TODOS os direitos autorais a Editoras, para que elas destinassem parte dos lucros ao serviço da caridade.

E relembro que a casa em que o Chico morava foi feita por três amigos e está no nome dos três, sendo que dois já desencarnaram.

Vale aqui também repetir que certa vez perguntei ao Chico quanto tempo ele demorava para fazer o imposto de renda dele. A resposta veio rápida:

- Dez minutos, pois é só preencher. Eu não tenho nada para declarar.

Eu fiquei sempre com a impressão de que ele é a pessoa mais feliz da Terra. Tudo o que ele produzia era entregue com amor e por amor.

 

Livro

Chico Xavier, Pequenas Histórias: Um Grande Homem

Oswaldo Cordeiro

IDEAL - Grupo de Ideal Espírita André Luiz