Seguidores

domingo, 20 de maio de 2012

“PARASITAS OVÓIDES”

ovoides1

        Inúmeros infelizes, obstinados na ideia de fazerem justiça pelas próprias mãos ou confiados a vicioso apego, quando desafivelados do carro_físico, envolvem sutilmente aqueles que se lhes fazem objeto da calculada atenção e, auto-hipnotizados por imagens de afetividade ou desforço, infinitamente repetidas por eles próprios, acabam em deplorável fixação monoideística, fora das noções de espaço e tempo, acusando, passo a passo, enormes transformações na morfologia do veículo_espiritual, porquanto, de órgãos psicossomáticos retraídos, por falta de função, assemelham-se a ovóides, vinculados às próprias vítimas que, de modo geral, lhes aceitam, mecanicamente, a influenciação, à face dos ...

    pensamentos de remorso ou arrependimento tardio,

    ódio voraz ou egoísmo exigente que alimentam no próprio cérebro, através de ondas mentais incessantes. 

        Nessas condições, o obsessor ou parasita_espiritual pode ser comparado, de certo modo, à Sacculina carcini, que, provida de órgãos perfeitamente diferenciados na fase de vida livre, enraíza-se, depois, nos tecidos do crustáceo hospedador, perdendo as características morfológicas primitivas, para converter-se em massa celular parasitária.

       No tocante à criatura humana, o obsessor passa a viver no clima pessoal da vítima, em perfeita simbiose mórbida, absorvendo-lhe as forças psíquicas, situação essa que, em muitos casos, se prolonga para além da morte física do hospedeiro, conforme a natureza e a extensão dos compromissos morais entre credor e devedor.
Uberaba-MG, 19/3/58

      
       Existem parasitas ovóides vampirizando desencarnados, nos processos degradantes da obsessão_vindicativa, nos círculos inferiores da Terra, sendo comuns semelhantes quadros, sempre dolorosos e comoventes pela ignorância e paixão que os provocam.

Uberaba-MG, 25/6/58

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ADICIONE SEU COMENTÁRIO AQUI