Seguidores

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Quem Pode Julgar?

Para Refletir... Paulo Roberto Barbosa. Um cego na Internet!

imagesss

"Não julgueis, para que não sejais julgados. Porque com o
juízo com que julgardes sereis julgados, e com a medida com
que tiverdes medido vos hão de medir a vós. E por que
reparas tu no argueiro que está no olho do teu irmão, e não
vês a trave que está no teu olho?" (Mateus 7:1-3)
"Quando nós vemos um irmão ou uma irmã em pecado, existem
duas coisas que nós não sabemos: Primeiro, nós não sabemos o
quanto se empenharam para não pecar. E segundo, nós não
sabemos qual o poder ou forças que os dominaram. Não
sabemos, também, o que teríamos feito nas mesmas
circunstâncias."
Temos o hábito de julgar as pessoas. "Ele é fraco e não sabe
resistir aos momentos de dificuldades"; "ela se deixa
envolver facilmente com coisas erradas"; "eles bem que
poderiam ter evitado aquela situação"; e outros comentários
semelhantes. Até parece que não erramos nunca, que não
fraquejamos em nenhum momento, que somos sempre fortes e
inabaláveis.
Por que, em vez de criticar e condenar as pessoas, não
procuramos compreender a situação? Por que, em vez de virar
as costas aos "pecadores" não nos oferecemos para ajudá-los,
para abraçá-los, para mostrar-lhes algo melhor? Temos o
dever de amá-los e não de diminuí-los ainda mais.
Por acaso nós nos colocamos em seus lugares? Seríamos nós
mais santos e firmes se enfrentássemos os mesmos dilemas?
Resistiríamos mais se sofrêssemos as mesmas tentações?
Agiríamos com mais honestidade se nos confrontássemos com as
mesmas facilidades? Teríamos coragem de atirar pedras, como
não tiveram os acusadores da mulher pecadora dos tempos de
Cristo?
Por que o Senhor Jesus nos mandou cuidar primeiro do cisco
de nossos olhos antes de querer tirar o dos nossos irmãos?
Somos mais santos que eles? Somos mais puros que eles? Temos
as vestes mais brancas do que as deles?
Todos nós somos abençoados pela misericórdia e pelo amor de
nosso Senhor. Que saibamos agir da mesma forma com todos que
estão diante de nós.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ADICIONE SEU COMENTÁRIO AQUI