Seguidores

quarta-feira, 6 de abril de 2011

AO COMPANHEIRO DO CRISTO

Falarás com ternura a todos que te ostentam o látego da hostilidade.
Trazes dentro de ti o ímpeto da revolta e sentes o peito incendido na brasa
da indignação. Mostras a fronte suarenta, cravada de espinhos da
incompreensão, e tuas lágrimas revelam-te o fogo de aflição que te consome
por dentro.
Colocaram-te sobre os ombros o símbolo do martírio na forma de obrigações
inadiáveis e responsabilidades inúmeras.
Sofres, mas compreendes que é preciso sofrer na obra de renovação.
Notas tuas mãos trêmulas de angústia, mas a angústia de tuas mãos trêmulas
não te impedirá de escrever a página de conforto e estender o socorro do
medicamento.
Sentes teus lábios crispados de amargura, mas a amargura de teus lábios
crispados não te roubará a oportunidade de proferir a palavra de
entendimento e brandura.
Tens a impressão de que não suportas, mas suportarás.
Trêmulas, tuas mãos ainda assim abençoarão.
Crispados, teus lábios ainda assim falarão na caridade.
Serão muitos os que te não compreenderão a obra renovadora. Erguer-te-ão
barreiras de ódio e ciúme, muralhas de inveja e desconfiança.
Desacreditar-te-ão perante outros, desdenhando tuas qualidades e ressaltando
tuas limitações. Surgir-te-ão no caminho os ociosos e os negligentes,
dispostos a colocar-te obstáculos pela omissão e, entre eles, muitos
chamar-te-ão sonhador e vissionário.
Entretanto, responderás a todos eles com o amor de JESUS.
Compreenderás sempre, sem que para isso te obrigues a endossar o erro e não
desistirás nunca da sinceridade no bem, ainda que para preservá-la sejam-te
necessárias mudanças e atitudes incisivas, arriscando-te a ficar só.
Sozinho ou não, pensarás nos que perambulam pelo mundo, aflitos e
desdenhados, cuja única esperança é a esperança que tiveres em tua própria
autenticidade. Pensarás nos desorientados e deprimidos, desajustados e
rejeitados, esperando por ti, cuja única confiança é a confiança que tiveres
em ti mesmo. Pensarás em todos eles com abnegação e carinho, a fim de que
também aprendam a pensar nos outros com carinho e abnegação.
E nas situações mais aflitivas, quando teu sofrimento te impulsionar a
esmorecer e quando tua amargura te sufocar em soluços, pensarás ainda neles,
sentido que o Cristo estará a teu lado e o Cristo, que te compreende as
imperfeições e o esforço para superá-las, afagar-te-á a cabeça orvalhada de
suor no trabalho digno e, como outrora, novamente te convidará com doçura:
- Vem comigo; meu jugo é leve e suave.
Eurípedes Barsanulfo
(Paginá Psicografada por Antonio Baduy Filho, Ituiutaba - MG)

E-mail recebido do Marcos [grupo vidas passadas do yahoo]

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ADICIONE SEU COMENTÁRIO AQUI