Seguidores

sábado, 22 de janeiro de 2011

VOCÊ ACREDITA EM REENCARNAÇÃO?

Publicado (Momento Espírita in solo) em 20/01/2011 - 09h04m
Atualizado em 20/01/2011 - 17h04m

  • VOCÊ ACREDITA EM REENCARNAÇÃO? - Redação do Momento Espírita
  • REVOLTA DA NATUREZA - Marcial Salaverry

VOCÊ ACREDITA EM REENCARNAÇÃO?

Redação do Momento Espírita

http://www.momento.com.br/pt/ler_texto.php?id=1354&let=V&stat=0

Você acredita em reencarnação? Hoje, um número muito grande de pessoas, independente da crença religiosa, crê que nascemos muitas vezes.

Acredita que voltaremos vezes inúmeras a este planeta.

Isso porque experiências no campo da psicologia, entre outras, têm demonstrado que essa é uma verdade inconteste.

Alguns pesquisadores e cientistas igualmente já incorporaram essa verdade, provada por anos de experimentações, envolvendo, entre elas, a regressão de memória.

De forma muito estranha, no entanto, não temos nos comportado como quem acredita nessa verdade.

Vejamos o exemplo do nosso planeta. Seria óbvio que, se temos a certeza de que retornaremos a este local, desejássemos que ele nos oferecesse, nesse retorno, as melhores condições de vida.

Entretanto, que fazemos? Preocupamo-nos em preservar a mata?

Os exemplos demonstram que um número expressivo de nós está mais preocupado em ganhar dinheiro.

Dinheiro para gastar agora, nesta vida, sem pensar no futuro. Dinheiro para adquirir uma mansão, um carro, um iate. Dinheiro para viajar pelo mundo e gozar esta vida.

Não estamos absolutamente pensando que se o desmatamento prosseguir, teremos problemas para respirar, para a manutenção das chuvas regulares, para a preservação dos mananciais.

Aliás, as reservas do precioso líquido, água, não estão a nos merecer maior atenção?

Destruímos as matas ciliares, em total desleixo pela preservação de rios preciosos. Tudo porque a lavoura que nos garantirá dinheiro é mais importante do que zelarmos pela natureza.

Quando muito bem poderíamos, com um pouco menos de ambição, ter boa colheita e preservar o meio ambiente.

Um pouco de investimento, maior cuidado, mais atenção.

E quanto à camada de ozônio, cujo buraco se amplia a cada ano, que temos feito?

Preocupamo-nos em não utilizar materiais que a agridam, de forma paulatina?

Ou estamos mais preocupados em gozar dos bens que a vão destruindo?

Temos zelado e exigido que as nossas indústrias criem mecanismos não invasivos a esse precioso espaço que nos preserva a saúde?

Que estamos construindo para o nosso futuro?

Vivemos exatamente como quem, de forma egoística, vê somente o hoje.

O importante é gozar o mais possível. As gerações futuras haverão de dar um jeito para sua sobrevivência.

Damo-nos conta de que as gerações do futuro, por essa lei chamada reencarnação, seremos nós mesmos de retorno?

Que planeta estamos preparando para nós?

Se somos tão egoístas a ponto de não pensar em nossas crianças, esses pequenos que nos merecem todo cuidado, será que pensamos no que estamos deixando para nós mesmos, no amanhã que virá?

A reflexão se faz de oportunidade. Não se trata de um mero apelo, ou de digressões filosóficas, visando convencimento de quem quer que seja.

Trata-se de uma questão de bom senso e discernimento.

Por isso, pensemos: onde desejamos ser recebidos, em nosso retorno?

Num planeta árido, enfermo, com condições insalubres?

Ou num planeta abençoado pela mata verde, o ar puro, as fontes cristalinas cantando melodias de vida?

Um planeta de pedras e montanhas de picos agudos, nus, erguendo-se para o céu?

Ou um local cheio de flores, pássaros cantantes e animais de espécies variadas, mantendo o perfeito equilíbrio ecológico?

A decisão nos pertence. O amanhã depende de nós. A hora de construir e preservar é agora.

O melhor local: onde nos encontramos, no lar, na escola, no escritório, na rua.

Pensemos nisso!

Texto da Equipe de Redação do Momento Espírita.

www.momento.com.br

* * *

REVOLTA DA NATUREZA
Marcial Salaverry

Tudo se renova nesta vida,
e devemos preparar nossa partida,
lembrando de que voltaremos,
e o que deixarmos, encontraremos...
Não devemos a Natureza maltratar,
porque ela saberá nos castigar...
Tsunamis, enchentes, furacões,
tornados, maremotos, vulcões...
As coisas acontecem,
milhares perecem...
Não há que se buscar causas,
buscar o porque aconteceu...
Se foi ira divina,
ou revolta da Natureza...
Talvez o grande culpado,
sejamos nós, pela falta de cuidado,
deixando a mata queimada,
a Natureza devastada...
É natural essa reação,
que não admite contestação...
O certo é que o bicho homem
só aprenderá,
quando tudo terminará...
E aí... será tarde demais...
E o Amigão terá que tudo recomeçar...
Só esperamos que com barro de melhor qualidade,
para não provocar novamente tanta infelicidade...

* * *

clip_image001

Com esta mensagem eletrônica

seguem muitas vibrações de paz e amor

para você

---------

http://www.aeradoespirito.net/