Seguidores

domingo, 9 de janeiro de 2011

O TRABALHO DOS INTELECTUAIS

  • Guia HEU

  • De grandes responsabilidades se investem aqueles que se entregam na Terra aos labores espirituais sob todos os aspectos em que se nos apresentam;

  • grandes serviços constam de suas incumbências e elevada conta lhes será solicitada dos seus afazeres sobre a face do planeta.

  • Dolorosas decepções os aguardam na existência de além-túmulo, quando menosprezam as suas possibilidades para o bem comum, fazendo de suas faculdades intelectuais objeto de mercantilismo, em troca de prebendas, as quais, augurando-lhes um porvir de repouso egoístico na vida transitória, os fazem estacionários e nocivos às coletividades, o que equivale a existências de provas amargas, entre prolongadas obliterações dos seus poderes de expressão.

        Não é que o artista e o pensador devam aderir a este ou àquele sistema_religioso, ou alistar-se sob determinada bandeira filosófica; o que se faz mister é compreender a necessidade da tarefa de espiritualização, trabalhando no edifício sublime do progresso_comum, colaborando na campanha de regeneração e de reforma dos caracteres, auxiliando todas as idéias nobres e generosas, em qualquer templo, facção ou casta em que vicejem, espiritualizando as suas concepções, transformando a ação inteligente num apelo a todos os espíritos para a perfeição, desvendando-lhes os segredos

  • da beleza,

  • da luz,

  • do bem,

  • do amor, através da arte na Ciência e na Religião, em suas manifestações mais rudimentares.

        Que todos operem na difusão da verdade, quebrando a cadeia férrea dos formalismos impostos pelas pseudo-autoridades da cátedra ou do altar, amando a vida terrena com intensidade e devotamento, cooperando para que se ampliem as suas condições de perfectibilidade, convencendo-se de que as suas felicidades residem nas coisas mais simples.

Emmanuel - 1938