Seguidores

sábado, 15 de janeiro de 2011

O PLANETA TERRA É DE PROVAS E DE EXPIAÇÕES E O SOFRIMENTO FORTALECE SEMPRE A ALMA PARA DEUS. Pense nisto!

clip_image001

MENSAGEM EM PORTUGUÊS-ESPAÑOL-SUECO

RÁDIO ADE-CAMPINAS-SÃO PAULO-Português

RÁDIO ALVORADA ILUMINANDO A NOVA ERA-Português

RÁDIO FRATERNIDADE-Português

O SOBRINHO DO CHICO XAVIER-Português

DESENCARNAÇÕES COLETIVAS!-Português

GOTAS DE PAZ MENSAGENS EDIFICANTES-Português

O SANATÓRIO ESPIRITA PEDE SOCORRO!-Português

50 ANOS DA COMUNHÃO ESPIRITA DE BRASÍLIA-Português

1º SEMINÁRIO SOBRE ESPIRITUALIDADE DOS ANIMAIS-Português

clip_image003

Amigos(as)Amor e Luz, sempre.

Novas mensagens que renovam VIDAS para sempre.

Orações para o Estado do Rio e de São Paulo

Quem desejar fazer doações devem manter contatos com o Banco do Brasil

Caixa Economica Federal e Banco Itaú - Brasil

Com votos de Consolação nesta expiação coletiva, somos,

João Cabral - Presidente da ADE-SERGIPE

Aracaju-Sergipe-Brasil.

Website: www.ade-sergipe.com.br

Ouça a nossa Rádio ONLINE. Temos muitas Mensagens e Músicas.

Em: 14.01.2011.

Assessoria Internacional da ABRADE-Brasil

clip_image005

Salve o  dia 15 de Janeiro pelo ANIVERSÁRIO dos 150 de "O LIVRO DOS MÉDIUNS"

Imagem do Centro Espirita Amália Domingo Soler-Perú

O SOBRINHO DO CHICO

Um dos sobrinhos do Chico [Xavier] viveu com ele cerca de uma dezena de anos.

Era uma crianca cega, surda, muda e não possuía células gustativas na boca e nas papilas da língua, razão pela qual era alimentada com a introdução de papas diretamente na garganta.

Nascera quando o médium contava vinte e seis anos. Pelas contingências da vida, Chico, a partir de algum tempo, passou a tê-lo qual seu próprio filho.

A cunhada, mãe do menino, não podia mais cuidar dele porque sua saúde mental estava comprometida, e suas irmãs, com numerosos filhos, uma com oito, as outras com a prole de dez e doze rebentos, não tinham tempo sequer para olhá-lo.

No entanto, a criança foi muito amada.

Chico dedicou-se a ela, substituindo, dentro de suas possibilidades, a mãe ausente, mantendo-a distante de olhares indiscretos, sempre coberta com um véu muito fino para protegê-la dos insetos.

Quando lá estivemos pela primeira vez, em 1948, na casa velha, em que se instalara o centro espírita, ao lado da sala, onde eram feitos atendimentos, sessões e transmissão de passes, ficava o quarto onde o Chico dormia com a criança.

Soubemos, posteriormente, que, no período em que ela permaneceu sob seus cuidados, o médium não aceitou convite algum para sair e passear aos sábados e domingos.

Essa constante intimidade fê-lo adquirir grande afeição pelo entezinho sofredor.

A comunicação entre ambos era feita por uma espécie de gemido que a criança dava respondendo-lhe as perguntas. Dessa forma eles dialogavam externando seus sentimentos.

Chico, ao referir-se a esses fatos, anos mais tarde, contou-nos que nunca levava os frequentadores do centro para vê-la porque poderiam dizer:

— Que médium é esse que não resolve problema algum?

— Algumas vezes, após longas horas de ausência — prosseguiu — pois só me afastava do menino para os compromissos sérios e de trabalho, eu o higienizava e quedava-me ao seu lado, para dar o amor que lhe faltava.

Mas eis que, inopinadamente, surgia uma mãe em pranto, pedindo-me auxílio e consolo porque seu filho havia perdido o ano na escola! E eu tinha de deixar o menino para ir atendê-la...

Depois de significativa pausa, Chico continuou:

— Assim viveu meu sobrinho até 1949. Quando desencarnou, aos doze anos, parentes se sentirarn aliviados, mas eu sofri muito com a ausência física dele...

O médium calou-se por uns momentos, e deu sequência ao relato:

— Depois de um tempo, que me pareceu muito longo, eis que ele me aparece em espírito: era então um moço muito bonito, aparentando vinte e dois anos.

Da comunicação que se estabeleceu entre nós, em meio às alegrias do seu retorno, após os saudosos anos de ausência, o belo rapaz informou-me que teria de permanecer mais cinquenta anos no Além, com reencarnação programada para o início do Terceiro Milênio.

Quem fora ele, em vida passada, para sofrer tão severa punição? - pensávamos, intimamente, ao ouvirmos tão comovente história.

O próprio médium informou-nos, em seguida, que ele era a reencarnação de Antoine Quentin Fouquier Tinville, revolucionário e juiz na França durante o conturbado final do século XVIII.

Chico, dirigindo-se a nós, em tom mais baixo, acrescentou ainda:

— Em pleno Tribunal Revolucionário, no período de Terror, quando não havia vítimas para serem levadas à guilhotina, ele enviava algum desconhecido, ou um de seus inimigos, para que a “máquina” não parasse...

Soubemos, posteriormente, que o nome do infeliz menino — mas que foi profundamente amado pelo generoso médium — era Emmanuel Luiz.

Livro: Inesquecível Chico

Romeu Grisi, Gerson Sestini

GEEM – Grupo Espírita Emmanuel Sociedade Civil Editora

clip_image006clip_image007

clip_image008clip_image009clip_image010

    E-MAIL: contato@radioespirita.org.br

RÁDIO ALVORADA ILUMINANDO A NOVA ERA!

clip_image011

LA JUSTICIA Y EL DRAMA HUMANO

Vean en el Adjunto-Anexo.

Mensaje traducido por EL GRUPO AMOR EN ACCIÓN-España

Em: 14..01.2011

clip_image012

Contatos-E-mail: jornal.espirita@hotmail.com

Entre em Contato com este lindo JORNAL!

clip_image014

DESENCARNAÇÕES COLETIVAS

Sendo Deus a Bondade Infinita, por que permite a morte aflitiva de tantas pessoas enclausuradas e indefesas, como nos casos dos grandes incêndios?

(Pergunta endereçada a Emmanuel por algumas dezenas de pessoas em reunião pública, na noite de 28 de fevereiro de 1972, em Uberaba, Minas Gerais.)

Resposta:

Realmente reconhecemos em Deus o Perfeito Amor aliado à Justiça Perfeita. E o Homem, filho de Deus, crescendo em amor, traz consigo a Justiça imanente, convertendo-se, em razão disso, em qualquer situação, no mais severo julgador de si próprio.

Quando retornamos da Terra para o Mundo Espiritual, conscientizados nas responsabilidades próprias, operamos o levantamento dos nossos débitos passados e rogamos os meios precisos a fim de resgatá-los devidamente.

É assim que, muitas vezes, renascemos no Planeta em grupos compromissados para a redenção múltipla.

* * *

Invasores ilaqueados pela própria ambição, que esmagávamos coletividades na volúpia do saque, tornamos à Terra com encargos diferentes, mas em regime de encontro marcado para a desencarnação conjunta em acidentes públicos.

Exploradores da comunidade, quando lhe exauríamos as forças em proveito pessoal, pedimos a volta ao corpo denso para facearmos unidos o ápice de epidemias arrasadoras.

Promotores de guerras manejadas para assalto e crueldade pela megalomania do ouro e do poder, em nos fortalecendo para a regeneração, pleiteamos o Plano Físico a fim de sofrermos a morte de partilha, aparentemente imerecida, em acontecimentos de sangue e lágrimas.

Corsários que ateávamos fogo a embarcações e cidades na conquista de presas fáceis, em nos observando no Além com os problemas da culpa, solicitamos o retorno à Terra para a desencarnação coletiva em dolorosos incêndios, inexplicáveis sem a reencarnação.

* * *

Criamos a culpa e nós mesmos engenhamos os processos destinados a extinguir-lhe as consequências. E a Sabedoria Divina se vale dos nossos esforços e tarefas de resgate e reajuste a fim de induzir-nos a estudos e progressos sempre mais amplos no que diga respeito à nossa própria segurança. É por este motivo que, de todas as calamidades terrestres, o Homem se retira com mais experiência e mais luz no cérebro e no coração, para defender-se e valorizar a vida.

* * *

Lamentemos sem desespero quantos se fizeram vítimas de desastres que nos confrangem a alma. A dor de todos eles é a nossa dor. Os problemas com que se defrontaram são igualmente nossos.

Não nos esqueçamos, porém, de que nunca estamos sem a presença de Misericórdia Divina junto às ocorrências da Divina Justiça, que o sofrimento é invariavelmente reduzido ao mínimo para cada um de nós, que tudo se renova para o bem de todos e que Deus nos concede sempre o melhor.

EmmanueL

clip_image015

clip_image016

clip_image018
clip_image020

Foto de MARI CARMEN-España

1º SEMINÁRIO SOBRE ESPIRITUALIDADE DOS ANIMAIS
tema: A visão espírita sobre os animais

Os animais têm alma?
Sofrem?
Têm sentimentos, pensamentos, inteligência?
Qual a importância da relação que mantemos com eles?
Animais têm consciência?
Apresentação musical: DÁLETE ALÉCIO
Sábado,  29 de janeiro de 2011, das 8h às 18h
Local: Centro Espírita Asseama (Associação Espírita Amigos dos Animais)
Endereço: Rua Manuel de Moura, 63, Pq. Vitória, Tucuruvi, São Paulo
ENTRADA FRANCA. VAGAS LIMITADAS!
Inscrições no local ou através do link: http://www.asseama.com.br/palestras-e-eventos.html