Seguidores

domingo, 9 de janeiro de 2011

O AMOR É O ALIMENTO DAS ALMAS NOS PLANOS DA CRIAÇÃO E EVOLUÇÃO DIVINA. VIVAMOS, POIS...

clip_image001

MENSAGEM EM PORTUGUÊS-ESPAÑOL-FRANÇAIS-

POSSE DA DIRETORIA DO CENTRO ESPÍRITA CHICO XAVIER-Português

A AMIZADE-Português

SIMPÓSIO CATARINENSE SOBRE MEDIUNIDADE-Português

A OBRA DE ANDRÉ LUIZ E A FÍSICA QUÂNTICA-Português

INAUGURATION DU CENTRE SPIRITE VICTOR HUGO-Français

150 ANS LA REVUE SPIRITE-Français

150 ANOS DE O LIVRO DOS MÉDIUNS-Salve!

ENFERMOS Y ENFERMEDADES-Español

QUE ES EL AMOR-PPS-Español-Anexo

ECOUTEZ RADIO KARDEC-Belgique-Français

clip_image003

Queridos amigos(as). Amor e Luz, sempre.

Novas mensagens de Esperanças e Amor.

Vejam os Anexos e Textos.

Divulguemos o Amor para melhorar a VIDA!

João Cabral-Presidente da ADE-SERGIPE

Em: 08.01.2011

Aracaju-Sergipe-Brasil

WEBSITE: www.ade-sergipe.com.br

CLIQUE NO WEBSITE AGORA NA NOSSA RÁDIO ONLINE- E OUÇA MENSAGENS E MÚSICAS

Assessoria Internacional da ABRADE-Brasil

clip_image005

CONVITE PARA A POSSE DA DIRETORIA DO GRUPO ESPIRITA FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER DE ARACAJU-SERGIPE

SEGUNDA-FEIRA - 10 de Janeiro de 2010-às 19.30hs.

clip_image007

A Amizade

A amizade é o sentimento que imanta as almas umas às outras, gerando alegria e bem-estar.
A amizade é suave expressão do ser humano que necessita intercambiar as forças da emoção sob os estímulos do entendimento fraternal.
Inspiradora de coragem e de abnegação. a amizade enfloresce as almas, abençoando-as com resistências para as lutas.
Há, no mundo moderno, muita falta de amizade!
O egoísmo afasta as pessoas e as isola.
A amizade as aproxima e irmana.
O medo agride as almas e infelicita.
A amizade apazigua e alegra os indivíduos.
A desconfiança desarmoniza as vidas e a amizade equilibra as mentes, dulcificando os corações.
Na área dos amores de profundidade, a presença da amizade é fundamental.
Ela nasce de uma expressão de simpatia, e firma-se com as raízes do afeto seguro, fincadas nas terras da alma.
Quando outras emoções se estiolam no vaivém dos choques, a amizade perdura, companheira devotada dos homens que se estimam.
Se a amizade fugisse da Terra, a vida espiritual dos seres se esfacelaria.
Ela é meiga e paciente, vigilante e ativa.
Discreta, apaga-se, para que brilhe aquele a quem se afeiçoa.
Sustenta na fraqueza e liberta nos momentos de dor.
A amizade é fácil de ser vitalizada.
Cultivá-la, constitui um dever de todo aquele que pensa e aspira, porquanto, ninguém logra êxito, se avança com aridez na alam ou indiferente ao elevo da sua fluidez.
Quando os impulsos sexuais do amor, nos nubentes, passam, a amizade fica.
Quando a desilusão apaga o fogo dos desejos nos grandes romances, se existe amizade, não se rompem os liames da união.
A amizade de Jesus pelos discípulos e pelas multidões dá-nos, até hoje, a dimensão do que é o amor na sua essência mais pura, demonstrando que ela é o passo inicial para essa conquista superior que é meta de todas as vidas e mandamento maior da Lei Divina.

Joanna de Angelis

COMUNIDADE ESPIRITA CRISTA DE ATLANTA - www.atlantaespirita.org
NAO DESEJANDO RECEBER NOSSOS CONTATOS, NOS COMUNIQUE.
atlantae@atlantaespirita.org

clip_image009clip_image011

clip_image012clip_image013

ENFERMOS Y ENFERMEDADES

NO ES LO QUE ENTRA POR LA BOCA LO QUE CONTAMINA AL HOMBRE,

MAS LO QUE SALE DE ELLA, ESO SÍ CONTAMINA AL HOMBRE”

(Mateo: 15, 11)

Todos estamos enfermos, conduciendo con nosotros enfermedades aflictivas que nos complace cultivar.

Enfermos – porque, perseverando en el egoísmo, mantenemos los gérmenes destructores que se llaman ira, vanidad, pasión…

Enfermos – porque nos complacemos, cuando heridos, también en herir; angustiados, lanzamos dardos de mal humor; afligidos, esparcir intranquilidad.

Enfermos - porque clareados por la fe noble y pura, racional y dinámica que emana de la Doctrina Espírita, poblamos la mente de sueños ilusorios y olvidamos los deberes primordiales de la sublimación interior con el firme propósito de mejoría incesante.

Enfermos – porque conservamos ironías, cultivamos maledicencias, atendemos recursos menos edificantes…

Enfermos – porque no sabemos, enfermos e ignorantes que somos, aprovechar el tiempo de que disponemos, valorizando las oportunidades que nos son ofrecidas.

******

Portamos enfermedades, sí, de variada nomenclatura porque:

Amando – imponemos condiciones al amor;

Amados – contaminamos de aflicciones a quien nos ama;

Sirviendo – deseamos servir como nos agrada;

Servidos – alegamos ineficiencia del servicio;

Tristes – gozamos que los demás participen de nuestra tristeza, normalmente injustificable;

Y, en las alegrías y tristezas de otros, nos sentimos con el derecho de “Vivir la propia vida”.

******

Somos espíritus enfermos en tratamiento difícil, por agradarnos la condición de infelicidad que es nuestra tónica favorita.

Sin embargo, Jesús es el Médico Divino y Su Doctrina es el medicamento eficaz de que podemos utilizar con resultados inmediatos.

Entretanto, si en el tumulto en que nos afligimos, hubiéramos perdido los oídos para escucharlo o el paladar para el pan de Sus enseñanzas, busquemos una roca solitaria, lejos de las tribulaciones, en el centro de una isla, y nos tornaremos receptivos.

Tal roca y tal isla son la oración y la meditación al alcance de todos.

Allí, el Médico Celeste nos dirá otra vez, con la misma seguridad de otrora: “Sea lo que fuere que pidáis en la oración, creed en lo que obtendréis y os será concedido” (Marcos: 11, 24)

Mensaje traducido por Claudia Maglio Esteban-Argentina.

Juana de ângelis-Divaldo P. Franco

clip_image014

SIMPÓSIO CATARINENSE SOBRE MEDIÚNIDADE

No dia 8 de janeiro, a partir das 9h, no Centro de Eventos de Itajaí (Av. Konder Reis, s/n – Parque da Marejada), estará acontecendo o Simpósio Catarinense sobre Mediunidade, alusivo aos 150 anos de O Livro dos Médiuns. Promoção da Federação Espírita Catarinense. Presentes Divaldo Franco, Raul Teixeira, Sandra Dela Polla, Suely C. Schubert, Marta A. Moura e Nestor Masoti.

PARTICIPE

II Movimento Você e a Paz acontecerá em Camboriú, SC, dia 9 de janeiro, na Av. Atlântica, em frente ao Hotel San Remo, a partir das 19h, com a presença de Divaldo Franco.

Abraço-Jorge Moehlecke

ANDRÉ LUIZ E CARLOS A.BACCELLI
clip_image016clip_image018

A Obra de André Luiz e a Física Quântica

   A obra de André Luiz, através de Chico Xavier, em complemento à Codificação Kardeciana, em vários aspectos, gradativamente, vem mostrando quanto se antecipa às modernas conquistas da Ciência, mormente no campo da Física Quântica.

A partir de “Nosso Lar”, em 1943, a nossa concepção de Mundo Espiritual se amplia, consideravelmente, com a revelação da existência de diversas “Esferas Espirituais” que o constituem. Há, inclusive, um estudo muito interessante a respeito, num dos livros editados pela FEB, intitulado “As Sete Esferas da Terra”, de Mário Frigéri, todo ele calcado em André Luiz. Aliás, a referida publicação, em grande parte, se baseia ainda em “Cidade no Além”, publicado pelo IDE, de Araras, através dos médiuns Chico Xavier e Heigorina Cunha, pelos espíritos André Luiz e Lucius, este último, segundo informação de Chico Xavier, pseudônimo de Camille Flammarion.

     O que Allan Kardec, genericamente, denomina de Mundo Espiritual, e André Luiz de “Esferas Espirituais”, a Física Quântica vem chamando de “Hiperespaço”. Em “Os Mensageiros”, cap. 15, encontramos na palavra de Aniceto:

“Há, porém, André, outros mundos sutis, dentro dos mundos grosseiros, maravilhosas esferas que se interpenetram. O olho humano sofre variadas limitações e todas as lentes físicas reunidas não conseguiriam surpreender o campo da alma, que exige o desenvolvimento das faculdades espirituais para tornar-se perceptível. A eletricidade e o magnetismo são duas correntes poderosas que começam a descortinar aos nossos irmãos encarnados alguma coisa dos infinitos potenciais do Invisível, mas ainda é cedo para cogitarmos do êxito completo.”

Nas considerações constantes do livro “Cidade no Além”, no cap. IV, “Localização de ‘Nosso Lar’ – Esferas Espirituais”, nos deparamos com preciosa elucidação: “O TRÂNSITO ENTRE AS ESFERAS SE FAZ POR MANEIRAS DIVERSAS. POR ‘ESTRADAS DE LUZ’, REFERIDAS PELOS ESPÍRITOS COMO CAMINHOS ESPECIAIS, DESTINADOS A TRANSPORTE MAIS IMPORTANTE. ATRAVÉS DOS CHAMADOS ‘CAMPOS DE SAÍDA’ QUE SÃO PONTOS NOS QUAIS AS DUAS ESFERAS PRÓXIMAS SE TOCAM. PELAS ÁGUAS, DE SE SUPOR AS QUE CIRCUNDAM OS CONTINENTES” (OCEANOS).

Vejamos agora o que transcrevemos da obra intitulada “Hiperespaço”, de Michio Kaku, professor de Física Teórica no City College da Universidade de Nova York. Graduou-se em Harvard e recebeu o título de doutor em Berkeley: “NOSSO UNIVERSO, PORTANTO, NÃO ESTARIA SOZINHO, MAS SERIA UM DE MUITOS MUNDOS PARALELOS POSSÍVEIS. SERES INTELIGENTES PODERIAM HABITAR ALGUNS DESSES PLANETAS, IGNORANDO POR COMPLETO A EXISTÊNCIA DE OUTROS.” “(...) NORMALMENTE, A VIDA EM CADA UM DESSES PLANOS PARALELOS PROSSEGUE INDEPENDENTEMENTE DO QUE SE PASSA NOS OUTROS. EM RARAS OCASIÕES, NO ENTANTO, OS PLANOS PODEM SE CRUZAR E, POR UM BREVE MOMENTO, RASGAR O PRÓPRIO TECIDO DO ESPAÇO, O QUE ABRE UM BURACO – OU PASSAGEM – ENTRE ESSES DOIS UNIVERSOS. (...) ESSAS PASSAGENS TORNAM POSSÍVEL A VIAGEM ENTRE ESSES MUNDOS, COMO UMA PONTE CÓSMICA QUE LIGASSE DOIS UNIVERSOS DIFERENTES OU DOIS PONTOS DO MESMO UNIVERSO”.

No livro “Voltei, de Irmão Jacob, igualmente psicografado por Chico Xavier (obra de leitura obrigatória para os espíritas!), no capítulo “Incidente em Viagem”, há interessante narrativa que Mário Frigéri sintetiza em “As Sete Esferas da Terra”:

“Havia uma ponte luminosa assinalando a passagem das regiões de treva para as de luz. Um desencarnado do grupo que volitava sob a supervisão e sustentação fluídica de Bezerra de Menezes e do Irmão Andrade, se desequilibrou ante a visão magnífica da nova região e, recordando seus antigos deslizes na carne, passou a gritar:

      - Não! não! não posso! eu matei na Terra! Não mereço a luz divina! sou um assassino, um assassino!

      Quando seus brados ressoaram lúgubres pelas quebradas sombrias abaixo, outras vozes, parecendo provir de maltas de feras ao pé da ponte, esbravejaram, horríveis:

      - Vigiemos a ponte! Assassinos não passam, não passam!”. 

Corroborando este rápido estudo, atentemos para a palavra lúcida de Emmanuel, em carta dirigida a César Burnier, em 2 de abril de 1938, recentemente inserida na obra “Um Amor – Muitas Vidas”, de Jorge Damas Martins, da Editora “Lachâtre”:

“Não podereis compreender, de pronto, o nosso esforço. Tendes de reconhecer, primeiramente, que o Além não é uma região, e sim um estado imperceptível para a vossa potencialidade sensorial. E entendereis que igualmente nós somos ainda relativos, sem nenhum característico absoluto, irmãos de vossa posição espiritual, em caminho para as outras realizações e conquistas, como vós outros”. (grifamos)

     Em suma, a vasta obra que Emmanuel e André Luiz realizaram através de Chico Xavier, em complemento ao Pentateuco, estão a requisitar de nós, espíritas, uma releitura, à luz das modernas conquistas da Ciência, para que possamos mais bem assimilar as inúmeras informações que contêm, muitas vezes em textos que necessitam ser cotejados entre si, à espera de que disponhamos de maturidade espiritual a fim de compreendê-los em sua profundidade reveladora.

   Porque permanecem na superfície da palavra, sem visão mais ampla desta ou daquela abordagem, muitos não conseguem atinar com o caráter progressivo da Doutrina, opondo-se, de maneira sistemática, ao que, por outros autores, encarnados ou desencarnados, lhes soa como novidade ou mesmo contrário aos princípios básicos da Terceira Revelação.

Artigo extraído do site:

http://www.baccelli.com.br/artigos.htm

João Cabral

ADE-SERGIPE