Seguidores

domingo, 28 de fevereiro de 2010

NASA - Documentário Revela os Segredos Sobre Ufos, Óvnis - (Legendado, Português)

Não é de hoje que se ouve boatos sobre segredos governamentais que escondem a existência de extraterrestres que visitam a Terra regulamente.
Aliás esse é um assunto até velho... mas nem por isso ultrapassado.
Pois ele só se tornará ultrapassado quando todo esse esquema de ocultação for desmantelado.
Por causa da falta de confirmações oficiais dos Governos as pessoas que diz ter visto um Óvni, ou que trabalhe como Ufólogos são vistos pela maioria como insanos, eles são desprezados e renegados as margens da sociedade...
Falar de Et´s, Disco Voador, abduções... é pedir para ser alvo de chacota e risos dos mais estridentes.
Mas aqui está um documentário que tem o poder de mudar essa situação vexatória, pois ele apresenta depoimentos, entrevistas com militares, ex-astronautas, e autoridades governamentais que fundamentam esses temas polêmicos.
Mais do que isso!
Ele mostra fotos e vídeos dos mais esclarecedores, material esse conseguido através de telescópios e sondas espaciais.
Então note espectador! Estamos falando de provas documentais saído de fontes fidedignas.
Além é claro de um aberto e audacioso estilo investigativo que discute os esquemas de ocultamento e desvirtuação praticado misteriosamente pelos principais governos da Terra para manter sob sigilo as provas mais incontestáveis sobre as visitas dos seres extraterrestres.
Exagero meu?
Assista o documentário e verá se não tenho razão.
Sugestão:
Faça o Download desse documentário, grave em DVD e distribua ao Máximo de pessoas que puder.
Se for colocar no seu canal (no Youtube ou em outro site), então mude o título e use palavras chaves diferentes, assim ele terá maior abrangência e atingirá um publico que este não atingiu.

 

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

‘Praga da dança’ matou centenas de habitantes de Estrasburgo em 1518

Epidemia começou em julho, com mulher bailando sem parar por 6 dias.
Transe acabou envolvendo centenas de pessoas e durou até setembro.

Do G1, em São Paulo*

0,,36174551-FMM,00

Carnaval epidêmico - Vítimas da febre da dança morriam de ataque cardíaco, derrame ou exaustão (Imagem: reprodução)

Em julho de 1518, a cidade francesa de Estrasburgo, na Alsácia (então parte do Sacro Império Romano-Germânico) viveu um carnaval nada feliz. Uma mulher, Frau Troffea (dona Troffea), começou a dançar em uma viela e só parou quatro a seis dias depois, quando seu exemplo já era seguido por mais de 30 pessoas. Quando a febre da dança completava um mês, havia uns 400 alsacianos rodopiando e pulando sem parar debaixo do Sol de verão do Hemisfério Norte. Lá para setembro, a maioria havia morrido de ataque cardíaco, derrame cerebral, exaustão ou pura e simplesmente por causa do calor. Reza a lenda que se tratava de um bloco carnavaleso involuntário: na realidade ninguém queria dançar, mas ninguém conseguia parar. Os enlutados que sobraram ficaram perplexos para o resto da vida.

Para provar que a epidemia de dança compulsiva não foi lenda coisa nenhuma, o historiador John Waller lançou, 490 anos depois, um livro de 276 páginas sobre o frenesi mortal: “A Time to Dance, A Time to Die: The Extraordinary Story of the Dancing Plague of 1518”. Segundo o autor, registros históricos documentam as mortes pela fúria dançante: anotações de médicos, sermões, crônicas locais e atas do conselho de Estrasburgo.

0,,36174557-EX,00

276 páginas - Historiador recuperou documentos da época atestando as mortes pela fúria dançante (Imagem: reprodução)

Um outro especialista, Eugene Backman, já havia escrito em 1952 o livro "Religious Dances in the Christian Church and in Popular Medicine". A tese é que os alsacianos ingeriram um tipo de fungo (Ergot fungi), um mofo que cresce nos talos úmidos de centeio, e ficaram doidões. (Tartarato de ergotamina é componente do ácido lisérgico, o LSD.)

Waller contesta Backman. Intoxicação por pão embolorado poderia sim desencadear convulsões violentas e alucinações, mas não movimentos coordenados que duraram dias.

O sociólogo Robert Bartholomew propôs a teoria de que o povo estava na verdade cumprindo o ritual de uma seita herética. Mas Waller repete: há evidência de que os dançarinos não queriam dançar (expressavam medo e desespero, segundo os relatos antigos). E pondera que é importante considerar o contexto de miséria humana que precedeu o carnaval sinistro: doenças como sífilis, varíola e hanseníase, fome pela perda de colheitas e mendicância generalizada. O ambiente era propício para superstições.

Uma delas era que se alguém causasse a ira de São Vito (também conhecido por São Guido), ele enviaria sobre os pecadores a praga da dança compulsiva. A conclusão de Waller é que o carnaval epidêmico foi uma “enfermidade psicogênica de massa”, uma histeria coletiva precedida por estresse psicológico intolerável.

0,,36174556-EX,00

Nonstop dancing – Gravura do artista Henricus Hondius (1573-1610) retrata três mulheres acometidas pela praga da dança; obra é baseada em desenho original de Peter Brueghel, que teria testemunhado um dos surtos subsequentes, em 1564 na região de Flandres (Imagem: reprodução)

Outros seis ou sete surtos afetaram localidades belgas depois da bagunça iniciada por Frau Troffea. O mais recente que se tem notícia ocorreu em Madagascar na década de 1840.

*Com informações do site Discovery News, por Jennifer Viegas 

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

O que os governos temem.

 

parte 1


parte 2


parte 3

parte 4

parte 5


parte 6 final

Profecia do sertanista Orlando Villas Boas/ESTÁ QUASE CUMPRIDA

Pra quem não viu, o P&P traz aqui a reportagem da Band TV, do jornalista Fábio Pannuzio, que está se mostrando um dos melhores, senão o melhor do país, onde mostra a profecia realizada há 6 anos pelo sertanista Orlando Villas Boas, no Dia Mundial do Meio Ambiente.
Pouco antes de morrer, Orlando Villas Boas denunciou interesses estrangeiros na Amazônia e fez uma profecia sobre o futuro de terras indígenas na região. Veja na reportagem de Fábio Pannuzio, que em uma reportagem anterior já denunciava a presença ostensiva de estrangeiros na região.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

YALTZIN YALMAN, OVNIS EN TURQUIA

EXCELENTE IMAGEM

Ovnis captados por Yaltzin Yalman en Turquia , con una camara de 200x ópticos.
Los Grandes Misterios del Tercer Milenio.
Domingos 5:30 PM.

Aborto – Crime e Conseqüências

FERNANDO A. MOREIRA

"O maior destruidor da paz no Mundo hoje, é o aborto. Ninguém tem o direito de tirar a vida; nem a mãe, nem o pai, nem a conferência, ou o Governo." Madre Tereza de Calcutá (Mensagem à Conferência na ONU).
O termo aborto que, cientificamente, indica o produto do abortamento, foi popularmente usado como sinônimo deste, confundindo-se, assim, a ação com o resultado dela, o ato de abortar com seu cadáver, o aborto. Apesar da ressalva, usa-remos indistintamente neste trabalho, dado a consagração do termo, uma ou outra denominação com a mesma finalidade.
Assim, aborto ou abortamento seria a expulsão do concepto, antes da sua viabilidade, esteja ele representado pelo ovo, pelo embrião ou pelo feto; a expulsão do feto viável, antes de alcançado o termo, denomina-se parto prematuro. É, pois, a interrupção da gravidez antes da prematuriedade – abortamento; durante – parto prematuro; completada – parto a termo; ultrapassada – parto serotino.
Pode ser o aborto, sob o ponto de vista médico, espontâneo ou provocado, e a diferença está na intenção, pois que este último é devido à interferência intencional da gestante, do médico ou de qualquer outra pessoa, visando ao extermínio do concepto. Neste trabalho, por motivos óbvios, só nos referiremos ao aborto provocado.
Incidência
Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), feitos por estimativa e, antes de serem publicados, já foram divulgados pela Rede Nacional Feminista de Saúde e Direitos Reprodutivos ("Dossiê Aborto Inseguro") através do jornal O Globo, é na América do Sul onde ocorre o maior número de abortos clandestinos no mundo, vindo em segundo a América Central e, em terceiro, a África. O Brasil é o campeão mundial, pois aqui são consumados 1,4 milhão de abortos clandestinos por ano, mais do que todos os outros países da América do Sul reunidos. Meninas e jovens de até 19 anos fazem 48% das interrupções legais da gravidez, segundo a nossa rede pública. Dados do Fundo das Nações Unidas para a População (FUNUAP) mostram que em conseqüência de complicações deles, morrem por ano nos países da América Latina (inclusive no Brasil) seis mil mulheres, consistindo na terceira causa de morte materna, depois das hemorragias e da hipertensão. Relatório do Instituto Allan Gutmacher (Folha de S. Paulo: 14-3-99) mostra que a maior incidência por percentagem de abortos (36%) acontece nos países desenvolvidos, graças à permissão da lei, sendo deles também a maior taxa de gravidez não planejada (49%), mas englobam apenas 28 milhões de mulheres grávidas por ano. Os países subdesenvolvidos apresentam planejamento melhor (36% dos nascimentos não são previstos) e menos abortos (20%), entretanto representam 182 milhões de grávidas. No Brasil, segundo o mesmo Instituto, a cada 1.000 adolescentes grávidas, 32 recorrem ao aborto. Somente a República Dominicana (onde também é proibido)
e EUA (onde é legalizado), têm taxas maiores: 36.
Conclui ainda o relatório que nos EUA, como é crescente o número de mulheres que praticam o aborto, existe uma preocupação do Congresso, que prevê crescimento populacional negativo na próxima década, falta de mão-de-obra e colapso de sistema previdenciário em vinte anos. Outro dado importante é que 63% das mulheres norte-americanas chegam aos 18 anos já tendo praticado sexo. Só na Dinamarca (72%) e na Islândia (71%) o percentual é maior. O próprio Instituto reconhece que parte das mulheres só fazem sexo por saberem que não terão filhos (seja porque usam métodos contraceptivos, seja pela prática do aborto). Equivale dizer que, naqueles países onde o aborto foi legalizado, ganhando o nome, dado por eles, de "aborto seguro", o número de abortamentos vem aumentando assustadoramente e não menos assustadora foi a diminuição do número de gravidezes programadas, denotando ambos, o aumento da "irresponsabilidade segura".
AS CONSEQÜÊNCIAS
O aborto é um crime hediondo que produz uma série de conseqüências espirituais, perispirituais, físicas, psicológicas e legais.[3]
• Conseqüências espirituais e perispirituais: estão relacionadas ao crime, com repercussões para o criminoso e a vítima. PARA O CRIMINOSO: Em trabalho publicado na Revista Internacional de Espiritismo [x], referimo-nos à programação genética reencarnatória [4], já que "não existindo o acaso, tudo na reencarnação acontece sob a égide de Deus, o Senhor da Vida. Sendo esta programada, os Espíritos Superiores atuariam como construtores ou geneticistas, no fluxo da vida, selecionando o óvulo e o espermatozóide que originarão o ovo; sempre que possível participa nesta seleção genética o Espírito reencarnante, sendo o grau de comando dos Espíritos Superiores inversamente proporcional ao estágio evolutivo do Espírito. Estabelecem-se, outrossim, fortíssimos compromissos entre os pais e o Espírito reencarnante e vice-versa. Colaboram os Espíritos simpáticos e tentam interferir negativamente os Espíritos inimigos, de acordo com as possibilidades das sintonias". O produto deste magnífico trabalho de coorporificação da espiritualidade é o ovo, que originará os 75 trilhões de células do corpo físico[3], indo servir de roupagem ao Espírito reencarnante, como veículo possuidor de todas as dimensões necessárias e suficientes, colocadas a seu serviço para executar sua proposta reencarnatória e conduzi-lo à evolução espiritual. O aborto não é uma solução, é um adiamento doloroso, uma porta aberta de entrada no crime e no mal, e um rompimento de compromissos estabelecidos pelo Espírito, ora delituoso, com Deus, com o reencarnante e em última análise consigo mesmo. Quem quer que venha praticar esse delito ou com ele colaborar predispõe-se a alterações significativas do centro genésico, em seu perispírito, com conseqüências atuais e posteriores, na esfera patológica de seus órgãos sexuais e também, por vezes, dos centros de força (chacras) coronário, cardíaco e esplênico com todas as repercussões pertinentes. Nós estamos preparando hoje a reencarnação de amanhã; um aborto provocado agora se refletirá no chacra genésico, e será mais além o aborto espontâneo, pois a paternidade e a maternidade não valorizados hoje, o serão com certeza amanhã, noutra encarnação, mas agora por um processo educativo, que passa pela dor e pelo sofrimento redentor. Em igual patamar, como conseqüência, estão a prenhez tubária, a placenta prévia, o descolamento prematuro de placenta, a esterilidade, a impotência, entre outras causas que atingem a esfera do aparelho reprodutor masculino e feminino. PARA A VÍTIMA: O único caso em que é aceito o aborto, pela Doutrina Espírita, é quando existe risco insuplantável para a vida da mãe [x] . Em todos os demais casos considera-se ser este compromisso inquebrantável, sob o ponto de vista moral e portanto consciencial espiritual, quer na prova dolorosa do estupro, quer nos fetos acárdicos e anencéfalos, ou qualquer argumento, como o direito de escolha da mulher e sua plasticidade, falta de recursos financeiros, etc. A luta entre o "devo mas não posso e o posso mas não devo" nada mais é do que "todas as coisas me são lícitas, mas nem todas me convêm" (Paulo, I Coríntios, 6:12). A reação da vítima, o Espírito reencarnante, varia, de acordo com seu grau evolutivo, da decepção, quando aproveita areencarnação malograda para sua purificação, à obsessão, e dadas as circunstâncias, é mais provável que reaja da segunda forma, sintonizando-se às vezes com verdadeiras falanges de Espíritos obsessores: "(...) ódio aos que se recusaram a recebê-los num novo berço e, quando não lhes infernizam a existência terrena, em longos processos obsessivos, aguardam, sequiosos de vingança, que façam o trespasse, para então tirarem a forra, castigando-os sem dó nem piedade." [5]
• Conseqüências físicas - Conseqüências físicas imediatas: Consideremos aqui as de ocorrência médica, que acontecem nesta encarnação. Estima-se que a morte da gestante ocorra em 20% dos casos de abortamento provocado na clandestinidade e além disso descrevem-se: perfurações do útero com cureta, sondas, velas, etc.; anemia aguda, decorrente de hemorragias provocadas por estas últimas, por abortamento incompleto (restos ovulares) e demais traumatismos da vagina, do útero e das trompas; infecções, inclusive tétano, abscessos, septicemias, gangrenas gasosas; esterilidade secundária; lesões intestinais, complicações hepáticas e renais pelo uso de substâncias tóxicas."[2] Assim, o aborto, quando não determina a morte, pode imprimir marcas indeléveis no corpo físico e, como vimos, também no corpo perispiritual.
• Conseqüências psicológicas - Não podemos fugir da nossa consciência, nem pretextar ignorância das Leis Morais pois elas estão aí impressas"[6] , e quando se pratica este tipo de crime, desperta-se o sentimento de culpa, o arrependimento e às vezes o remorso, a nos perseguir por toda vida física e extrafísica. O arrependimento é a ante-sala da reabilitação, e quando dinâmico, canalizado para ações construtivas, pode levar, via reforma íntima e trabalho regenerador, e não raro espelhado na adoção, a minimização de nossas faltas. Oremorso é a lamentação interior inoperante, completamente estático, que como um ácido corrói o recipiente onde é guardado, provocando a viciação mental, a mente em desarmonia, que é porta aberta aos processos obsessivos."[x]
• Conseqüências legais - Não nos estenderemos sobre o tema, lembrando que "nem tudo que é legal é moral e nem tudo que é moral é legalizado"[7] . O aborto é um crime, e se não é admissível que morram mulheres jovens, menos admissível ainda é que se assassinem covardemente os mais jovens ainda e mais indefesos, praticando-o. O assunto é tratado nos artigos 124 a 128 do Código Penal, determinando penas que vão de 1 a 10 anos.
Conclusão:
"O primeiro dos direitos naturais do homem é o direito de viver. O primeiro dever é defender e proteger o seu primeiro direito: a vida."[8]
O aborto é um crime nefando, porque praticado contra um inocente indefeso; o produto da concepção está vivo, e tem o direito Divino de continuar vivendo e de nascer. Transgride-se assim o 5o Mandamento: "Não Matarás".
Errar é humano; assumir o erro, é divino.
O Espiritismo não aceita a legalização do aborto, nem com ela compactua, porque legalizá-lo é legalizar o crime e a irresponsabilidade. O "aborto seguro" com que acenam, dizendo-se defensores da vida da mulher, mesmo se verdadeira, não passa de uma proposta para o crime, em que saem em desvantagem as vítimas, os inocentes e indefesos conceptos e aparentemente premiada a irresponsabilidade, excetuando-se desta os casos de estupro, no qual também não justificamos o delito, pois mesmo aí existe um compromisso cármico a ser cumprido.
"Lembrai-vos de que a cada pai e a cada mãe perguntará Deus:[9]
– Que fizestes do filho confiado à vossa guarda?"
E quem praticou o aborto responderá:
– Eu matei meu próprio filho...
Quem assim dirá, embora reconhecendo a grave falta em que incorreu, não deve cultuar o remorso ou consumir-se no sentimento corroente da culpa, que levariam à estagnação, mas dinamizar-se e orientar sua energia no trabalho regenerador, agora sim, na defesa da vida, praticando a caridade, dedicando-se ao próximo e servindo com amor, que alcançariam sua plenitude na dádiva espelhada da adoção, na certeza de que com esses procedimentos encontrará a justiça indulgente e a misericórdia do Criador.
"Não é na culpa corrosiva nem no remorso paralisante, mas sim no arrependimento dinâmico que nos remete à ação e ao amor, afastando-nos do vale da dor e do sofrimento, que encontraremos o caminho da libertação."[10]
________________________________________
Referências Bibliográficas:
[1] FURLAN, Laércio. Respeito ao embrião e ao feto – Diga não ao Aborto. Mundo Espírita. jan. 98, p. 2.
[2] REZENDE, Jorge. Ed. Guanabara-Koogan, 1963, p. 667.
[3] MOTA JR., Eliseu Florentino. Aborto sob a luz do Espiritismo. Matão (SP): Casa Ed. O Clarim, 1995, p. 97 e 121.
[4] MOREIRA, Fernando Augusto. Reencarnação e Genética, Revista Internacional de Espi-ritismo, março 2000, p. 6.
[5] CALLIGARIS, Rodolfo. As Leis Morais. 8. ed., Rio de Janeiro: FEB, 1991, p. 77.
[6] KARDEC, Allan. O Livro dos Espíritos, 80. ed., Rio de Janeiro: FEB, 1987, perg. 358, 359 e 621.
[7] CARVALHO, Alamar Régis. O Aborto e suas conseqüências, SEDA – Salvador, (BA): 31-7-99)
[8] KARDEC, Allan. Revista Espírita. Aborto; direito ou crime?; extraído do site www.cvdee.org.br , em 24-11-99.
[9] KARDEC, Allan. O Evangelho segundo o Espiritismo, 116. ed., Rio de Janeiro: FEB, 1987, p. 240.
[10] GANDRES, Doris Madeira. Tesouro maior, Revista Internacional do Espiritismo, jan 1999, p. 220.
[1]1 XAVIER, Francisco Cândido. Pelo Espírito André Luiz. Missionários da Luz. 34. ed., Rio de Janeiro: FEB, 2000, p. 187 a 189 e 208.
[12] KÜHL, Eurípides. Genética e Espiritismo, Rio de Janeiro: FEB, 2. ed., 1996, p. 40.
[13] MIRANDA, Hermínio C. Nossos Filhos são Espíritos. Publ. Lachâtre, 1995, p. 47.
[14] SOARES, José Luis. Biologia. Ed. Scipione, 1997, p. 195.
[15] DENIS, Léon. O Problema do Ser, do Destino e da Dor, 23. ed. FEB, 2000, p. 193.
[16] ROCHA, Alberto de Souza. Além da matéria densa. Ed. Correio Fraterno, 1997, p. 153. Reencarnação em foco. Casa Editora O Clarim, 1991, p. 105.
[17] LIMA, Inaldo Lacerda. Reformador, jun. 1987, p. 169.
[18] SANTA MARIA, José Serpa de. Direito de Viver. Reformador, jun. 1992, p. 168.
* As referências assinaladas com [x] correspondem às de números [1]1 a [18], pertencentes ao artigo Reencarnação e Genética (ver referência 1), em que se baseou o texto deste artigo.

Revista REFORMADOR Julho de 2001

Gente veja quando uma pessoa fala demais........(A LÍNGUA É O CHICOTE DO CORPO),

Phil Schneider: Uma biografia controversa

Uma batalha entre humanos e seres de outros planetas, conspiração governamental, espionagem,

elementos químicos que não estão na tabela periódica. Alguns ingredientes para um bom filme

de ficção científica se encontram na biografia do já falecido pesquisador Phillip Schneider.

schneider3
Phil Schneider: lunático ou um humano à frente dos demais?
MISTÉRIOS PROFUNDOS - Em 1979 um grupo de empregados de uma conhecida empresa de engenharia norte-americana, a Morrison-Knudsen Inc., foi convocado para a construção de um adicional de uma base militar subterrânea em Dulce, no Novo México, com aproximadamente duas milhas e meia de profundidade. Os homens fizeram quatro buracos que deveriam agora ser alargados e conectados. Phil Schneider era especialista em rochas e tinha a função de analisá-las para se determinar que tipo de explosivo seria melhor para detoná-las. Algum tempo depois, trinta homens começaram a descer em um dos buracos, se deparando com algo terrivelmente extraordinário.
Phil possuía o cartão de segurança do mais alto nível, denominado Rhyolite 38, tendo participado da construção das principais bases militares subterrâneas nos EUA. A de Dulce, a mais profunda, foi a primeira. Sua carreira foi iniciada na escola de engenharia, onde se especializou em geologia e engenharia estrutural com aplicações militares e aeroespacial. Nasceu em 23 de abril de 1947, no Hospital Naval de Bethesda, EUA. Era filho do casal alemão Sally Schneider e Otto Oscar Schneider, um capitão da marinha norte-americana que trabalhava com medicina nuclear e teria ajudado a projetar o Nautilus, o primeiro submarino nuclear.
Mas tudo começou quando Otto Schneider foi capturado pelos norte-americanos, atuando como comandante de um submarino alemão, o Nazi U-Boat. Foi repatriado para trabalhar na Inteligência Naval dos EUA e viria participar de projetos como o da bomba A, da bomba H, do Experimento Filadélfia e da operação Crosswords. Nesta última, foram realizados os primeiros testes nucleares nas Ilhas Bikini em 1946. Oscar teria inventado uma câmera de alta velocidade, com a qual teria tirado fotos dos testes nas quais apareciam ufos em alta velocidade nas imediações. Para esconder sua história, ele afirmava ter nascido em São Francisco, Califórnia e que sua certidão de nascimento tinha sido perdida no famoso terremoto.
Após sua morte, em 1993, algumas cartas de Phil foram achadas no porão de sua casa. Estas cartas trariam a confirmação da verdade sobre seu passado e também confirmariam a existência do Experimento Filadélfia. Além de outras revelações, narravam sobre sua participação em autópsias envolvendo membros de sua equipe, em cujos corpos foram encontrados implantes por uma tecnologia desconhecida, possivelmente de origem alienígena.
Cerca de trinta homens, incluindo Phil, se encontravam agora numa caverna diante de grandes seres hostis, descritos como extraterrestres do tipo gray e, do encontro iniciou-se uma verdadeira batalha. Os disparos dos alienígenas saíam de armas que eram como uma caixa fixada em seus corpos. No local havia tinas contendo pedaços de seres humanos e alienígenas, imerso em uma espécie de “plasma sangüíneo de gado”. Um cenário horripilante. Phil acertou dois deles e em seguida foi atingido no peito por uma rajada de radiação de cobalto. Mais quarenta soldados das forças especiais também desceram para o combate. Foram todos mortos. Do total de setenta homens, quarenta e quatro soldados e vinte e dois cientistas, apenas quatro sobreviveram.
schneider1
Imagem mostra sua mão esquerda dilacerada.
VIDA CONTURBADA - A saúde de Phil nunca mais foi a mesma e o episódio deixou algumas seqüelas como um câncer provocado pela radiação, a perda de alguns dedos da mão esquerda e fragmentos de metal no cérebro, além de uma cicatriz da garganta ao umbigo. Porém, dois anos após o episódio, ele já se encontrava relativamente recuperado, tendo por isto trabalhado ainda em algumas organizações, inclusive na famosa Área 51. Mais tarde surgiriam outros males como osteoporose, dores crônicas na parte inferior das costas e esclerose múltipla crônica e progressiva.
Em 1987 casou-se com Cynthia Marie Drayer Simon. A relação foi conturbada em virtude de dificuldades provocadas por seus problemas de saúde física (Phil tinha uma placa na cabeça, utilizava cadeira de rodas, cateteres, frauda (e outros acessórios médicos). Foi agraciado pelo nascimento da filha, Marie Schneider.
Phil e mais sete colegas fundaram um grupo de estudos em ufologia que chegou a publicar algumas edições de uma revista, a The Alien Digest. Seus trabalhos começavam a chamar atenção, quando, em agosto de 1993, um amigo e membro do grupo, Rom Rummel foi morto num parque em Portland. Disseram que ele teria cometido suicídio com um tiro na boca, mas segundo os detetives havia sangue na mão, porém não na arma, o que só poderia ter ocorrido se ele houvesse limpado a arma depois de morto. Cynthia afirmou que teria sido, provavelmente, esta a principal razão para que Phil desse início ao seu ciclo de mais de trinta palestras principalmente pelo território norte-americano, com o intuito de apresentar informações, até então, confidenciais ao público, algumas de teor surpreendente.
Segundo Phil, haveria uma ligação de órgãos governamentais, forças armadas e serviços secretos com operações secretas, chamadas Black Ops. Alguns velhos membros do governo sabem tudo sobre os projetos secretos e fizeram um juramento de silêncio, que Phil teria quebrado ao expor seu envolvimento neles.
Trilhões de dólares estariam sendo desviados do orçamento americano (via black budget projects) pelo governo, sem a interferência do congresso, para diversas finalidades secretas (black projects). Uma delas seria a construção de mais de cento e trinta bases subterrâneas desde, pelo menos, a década de 1940. Estas bases seriam como cidades sob o solo, conectadas por trens de levitação magnética de alta velocidade. A escavação teria sido feita com máquinas a laser que podiam fazer um túnel de sete milhas em um dia.
Phil falava sobre a formação de uma Nova Ordem Mundial, onde um governo fascista único governaria o mundo. Os extraterrestres estariam relacionados a este plano. Durante o governo Eisenhower teria sido estabelecido um tratado entre o governo e os aliens, o Tratado Grenada 1954, no qual estes últimos poderiam abduzir algumas vacas e testar implantes em alguns humanos, porém com a condição de que isso sempre fosse relatado detalhadamente. Aos poucos os alienígenas alterariam o acordo, até chegar a ponto de não terem mais o que cumprir. O programa Star Wars seria então, na verdade, um projeto para a humanidade se defender destes invasores, não tendo nada a ver com a guerra fria, como era pregado. O governo teria então, inventado isto para arrecadar dinheiro público. Haveria uma agenda alien na qual até 2029, cinco sextos a sete oitavos da população humana do planeta deveriam ser exterminados e os remanescentes escravizados.
Alguns extraterrestres estariam colonizando bases subterrâneas na Terra, há pelo menos, dez mil anos – ou algo que poderia chegar aos quinhentos mil anos. Até pouco tempo atrás, onze raças estariam presentes no planeta: quatro com boas intenções e sete com más intenções. A má notícia para nós é que as quatro primeiras já teriam ido embora. Uma guerra patrocinada por aliens estaria sendo travada contra a humanidade. Haveria naves extraterrestres que seriam freqüentemente derrubadas pelo governo. Até o momento os aliens viriam promovendo uma matança cujo número de vítimas estaria entre seis e sete milhões de pessoas. Além disso, aliens de aparência humana trabalharam ou estariam trabalhando no Pentágono faz mais de meio século.
A base da alimentação de algumas das raças seria secreções glandulares humanas. Isto, para outras, provocaria o efeito de uma droga estimulante, equivalente ao da cocaína para nós. A partir de secreções glandulares extraídas de cadáveres alienígenas, os russos teriam criado uma arma biológica e as secreções poderiam ser estocadas por trinta anos. Trinta e oito milhões de dólares seriam então gastos pelos norte-americanos para adquirir estas armas. A AIDS, inclusive, teria sido criada como arma biológica em 1972 a partir de secreções glandulares de humanos, animais e alienígenas humanóides.
Cento e sessenta e duas aeronaves secretas estariam guardadas pela mais alta patente do serviço secreto (dessas, dez foram destruídas).  Helicópteros negros sem identificação (mais de sessenta e cinco mil nos EUA) estariam sendo construídos incessantemente e utilizados inclusive para espionagem. Phil falava ainda sobre o envolvimento de algumas empresas na construção de vagões especiais que possuíam algemas para transportar presos políticos (inimigos do governo) e sobre uma nave criada em 1943 que poderia desaparecer de um lugar e aparecer em outro, utilizando um mecanismo de tubo de vácuo.
Descrevia uma tecnologia secreta, onde figuravam elementos do 111 a 140 da tabela periódica. Estes elementos teriam sido adquiridos após coleta de restos de naves extraterrestres caídas. Nelas, foram encontrados lingotes de metais que só poderiam ser produzidos no vácuo, fora do planeta. Esta tecnologia só poderia ser desenvolvida exclusivamente pelo homem dentro de 40 ou 45 anos. A tecnologia secreta estaria 1200 anos à frente da então comercializada.
Phil alegava ter participado das investigações sobre o atentado à bomba ao World Trade Center em 1993 e afirmava que os efeitos da explosão só poderiam ter sido provocados por uma pequena bomba atômica. Dizia que russos e norte-americanos vinham trabalhando em conjunto para modificar o clima. Mencionava um dispositivo “Tesla” para produzir terremotos, que fora o responsável pelas tragédias de Kioto, no Japão e de São Francisco (Califórnia), nas quais não foram detectadas pulsações de ondas comuns em tais eventos nas condições naturais.
Cynthia, sua esposa, mais tarde diria que Phil falara sobre o envolvimento da CIA com civis mortos e drogados e que a nave shutle Challenger da NASA teria sido abatida por um raio, provavelmente, dos russos. Acrescentara ainda que a imagem deste raio fora apagada de todas as cópias de vídeo que circularam no mundo.
Os outros sobreviventes do incidente em Dulce estariam sob vigilância do governo, um deles no Canadá. Onze amigos próximos de Phil foram mortos em um espaço de 22 anos e oito destes casos foram registrados como suicídio.
schneider2
Schneider mostra um material, segundo ele, de origem extraterrestre.
MORTE ESTRANHA - Em 17 de janeiro de 1996 o corpo de Phil foi encontrado, de cinco a sete dias depois do óbito, em seu apartamento, em Willsonville, Oregon, por seu amigo Al Pratt, juntamente com um detetive do escritório do xerife da cidade e o gerente do estacionamento. Al teria ido à casa de seu amigo alguns dias antes, visto seu carro estacionado, mas por não receber resposta ao bater na porta teria partido.
Apesar dos investigadores da polícia alegarem que Phil morreu por um tipo de ataque cerebral causado pela interrupção do suprimento de sangue no cérebro (total ou parcial); Cynthia, já divorciada de Phil desde 1990, acredita que ele tenha sido assassinado. Ela afirma que nenhum legista esteve no local. Conta ainda que quis ver o corpo antes da cremação, mas o diretor do local disse que o corpo já estava em estado avançado de decomposição e que poderia ser traumático para ela.
Ela foi contatada por um detetive, Randy Harris e este disse que havia marcas no pescoço de Phil. Uma autópsia foi feita então pela médica examinadora Karen Gunson e esta revelou que Phil não teria sido morto conforme foi dito, mas que ele haveria cometido suicídio enrolando uma mangueira de borracha em torno de seu pescoço e obstruindo assim o fluxo de sangue para a cabeça. Porém Phil foi encontrado numa posição estranha: seus pés estavam sob a cama, sua cabeça assentada sobre a cadeira de rodas num ângulo incomum, e o resto do corpo no chão. Havia sangue no chão perto da cadeira de rodas, mas não nela. Não havia ferida no corpo que justificasse o sangue encontrado e nenhuma amostra de sangue foi retirada pelo fato de os investigadores alegarem que a morte tenha se dado por causas naturais.
Quando Cynthia voltou para o apartamento, percebeu que todo o material que Phil utilizava para dar as palestras (metais desconhecidos, fotografias militares, incluindo as de seu pai, material de leitura e notas para um livro sobre OVNIs que ele planejava publicar) havia sumido, porém, objetos de valor como moedas de ouro, carteira com dinheiro, jóias, continuavam em seus devidos lugares. Os investigadores da polícia federal não quiseram levar isso em consideração, encerrando o caso como suicídio.
O legista que colheu amostras de sangue e urina durante a autópsia, disse que “não valeria a pena gastar dinheiro num caso de suicídio” e se recusou a analisar as amostras. Estas teriam um prazo de validade de doze meses. O legista voltou a ser contatado após o décimo primeiro mês, mas disse que tinha perdido as amostras e estas provavelmente já estariam destruídas.
Cynthia diz ter sido impossível que Phil tenha segurado a mangueira de borracha com a mão esquerda e enrolado a mangueira três vezes já que lhe faltava dedos nesta mão e os movimento dos ombros estavam bastante limitados. Além disso, ele deveria estar sentado na beira da cama para ter enrolado devagar e dolorosamente a mangueira em seu pescoço até a morte. Em seguida sua cabeça teria que ter caído primeiro na cadeira de rodas. Phil era especialista em química e conhecia muito bem suas necessidades médicas. Tinha vários remédios e uma arma de nove milímetros, com os quais poderia ter tirado sua vida muito mais rapidamente e sem tanta dor e sofrimento.

Nenhuma carta de suicídio foi encontrada. Ele inclusive dizia a alguns amigos que se um dia fosse encontrado morto e atribuíssem a causa a suicídio, ele teria sido na verdade assassinado. Assim, foi com a garçonete Donna de uma loja de conveniência em Aurora, Oregon, onde Phil gostava de lanchar, a quem ele mencionara dezenove tentativas do governo de fazê-lo parar de falar, tendo também dito em certa ocasião: “se alguma vez disserem que eu cometi suicídio, você vai saber que eu fui assassinado”.
Phil tinha uma turnê de palestras marcada que seria iniciada em dezesseis de janeiro e estava animado por que suas palavras estavam chamando a atenção de muitas pessoas. Estava entusiasmado também pelos dias que passava com sua filha. Um amigo, Mark Rufener, tinha encontrado com Phil no fim de semana de seis e sete de janeiro de 1996 e ambos combinaram de comprar terras no Colorado. Mark tinha sido contratado para ajudá-lo a escrever seu livro sobre OVNIs, Nova Ordem Mundial e Black Budgets. Afirmou que Phil estava muito empolgado, “Ele não cometeu suicídio, foi assassinado e tudo aquilo foi feito para parecer suicídio”, disse.

Cynthia afirmou que Phil era muito religioso e não acreditava em suicídio. Descartou também que ele teria feito isto por causa das dores, pois, desde que ela o conhecera, em junho de 1986, já sentia e reclamava das dores crônicas intensas. Porém, ela destacou que desde que se conheceram, passou ele a se recordar mais de seu passado. Antes de morrer Phil estaria aplicando regularmente injeções de Betaserone como parte de um experimento para a cura da esclerose múltipla. Após sua morte, Cynthia entrou em contato com a empresa que ele dizia ser a responsável, mas afirmaram que não conheciam o caso. Outra coisa chamou a atenção: toda vez que Phil tomava as injeções ele se sentia mal e ligava para avisar que não poderia ficar com a filha. Estaria a saúde física e mental de Phil sendo controlados, por aqueles que o tentaram silenciar através de medicamentos?
VULTOS E COMPANHIAS - Muitos amigos de Phil disseram tê-lo visto acompanhado de uma mulher loira nas últimas semanas antes de sua morte. Cynthia chegou a ver uma mulher de longos cabelos loiros observando alguns encontros de binóculo e percebeu que quando alguém se aproximava dela, saía em disparada. Anotou a placa do carro, mas quando foi confirmar sua procedência descobriu pertencer a uma caminhonete roubada.
O caso é inconclusivo. A saúde mental de Phil era bastante comprometida. Ele tinha dificuldades de aprendizado, era parte gênio, parte paranóico-esquizofrênico. Dizia que seu pai teria afundado cento e quarenta e um barcos durante seu período nazista, quando na realidade isto seria três vezes mais do que o melhor capitão de U-Boat registrado na história. Cynthia conta que ele, às vezes, era um perturbador emocional, e poderia chegar a ser bastante mal e abusivo. Além disso, quando ele estava em crise ou sob pressão, dizia que alguém do escritório do xerife ou do governo teria batido à sua porta ou até mesmo, que teria sido preso e que esta era a forma de ele expressar suas crises. Porém, ela afirma que algumas vezes, infelizmente, ele estaria dizendo a verdade. Conta ainda que, Phil tinha sonhos com espécies de realidades virtuais e quando ele se feria lá, acordava com o ferimento.
Estaria Phil dizendo a verdade sobre seu currículo, sobre o incidente em Dulce, a biografia de seu pai e o conteúdo de suas palestras? Ou tudo isto não passaria de um delírio esquizofrênico ou mesmo de uma farsa mal intencionada? Estaria Phil parcialmente certo e parcialmente errado em virtude de seus problemas psíquicos ou mesmo da suposta interferência em seu estado mental por parte daqueles que queriam seu silêncio?
Cynthia diz ter o número do seguro social de Phil, que prova que ele trabalhou em todas as companhias que disse. Relata uma vez em que foram para um jantar de Ação de Graças na casa do irmão de Phil, George. Quando Phil começou a falar sobre aviões secretos, seu irmão ficou visivelmente nervoso, pedindo para que ele parasse de falar sobre isso antes que fosse morto. Ela e sua filha alegam terem visto helicópteros negros sem qualquer identificação algumas vezes sobrevoando sua residência. Dizia que Phil mencionava também um acessório que seria colocado no cinto e poderia fazer com que seu usuário ficasse invisível, mas que ele era sensível à mudança de freqüência e sabia quando alguém neste estado estava próximo. Mary, sua filha, diz ter visto um homem no parque perto de sua escola e que só ela o podia ver.
Seria possível que Cynthia e Mary também estivessem participando desses delírios ou da suposta farsa? Ou estariam dizendo a verdade e sendo vigiadas pelas pessoas que seu marido e pai, respectivamente, descrevia?
Em suas conferências Phil mostrava parte do material que possuía, porém os mais incrédulos afirmam que ele nunca conseguiu apresentar nada que comprovasse sua autenticidade. É possível que nunca se venha saber o que há por trás de toda esta história de vida complicada e cheia de controvérsias e que continua regada de mistérios, incomodando a razão e o bom senso.Talvez, tirando a tranqüilidade de quem se atreva a prosseguir em sua investigação e, por outro lado, se algum dia alguém conseguir descobrir que Phil realmente estava dizendo a verdade, muito mais pessoas deverão parar para refletir e rever seu posicionamento diante da já delicada situação do mundo.
Atualmente pesquisadores como Alfred Bielek (que chegou a acompanhar Phil em algumas de suas palestras) e Ashley O’Toole continuam com as investigações sobre a vida de Phil e suas alegações, e os resultados vêm sendo publicados em livros e em sites da Internet.
* Rafael Sampaio é pesquisador em ufologia e espiritualidade e consultor de UFOVIA.
- Para saber mais detalhes através da tradução de alguns trechos de palestras de Phil Schneider:


Links relacionados (em inglês):
- Um vídeo e áudios das palestras e amostras da revista The Alien Digest podem ser conferidos no site: http://philschneider.org/
- Sites oficiais de Al Bielek:
philadelphia-experiment.com
www.bielek.com
- Carta de Cynthia:
http://www.apfn.org/apfn/ex_wifephil.htm
- Entrevista com Cynthia:
http://www.ufodigest.com/schneider3.html
- Outras referências:
http://en.wikipedia.org/wiki/Philip_Schneider
http://web.archive.org/web/20000303155312
http:/www.geocities.com/Heartland/8623/schneider.html
http://www.apfn.org/apfn/phil.htm
http://www.ufodigest.com/schneider.html

DITADURA É ISSO AÍ!!!!! Ó!!!!

LINHA DIRETA, EXPERIÊNCIA DE QUASE MORTE

Um garoto é atingido por uma flecha no bairro da Urca, depois de uma festa junina, enquanto ocorria uma briga de jovens na praça. Um mistério ocorre durante a cirurgia de retirada da flecha.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

FILME >> BRASIL > ZÉ RAMALHO FALA A VERDADE

Zé Ramalho em um grito agonizante, tenta resgatar a dignidade brasileira.

Muitos querem lutar, mas não encontram a forma!

Alguns ilustres moradores de Brasília estão com os cabelos em pé nessas últimas semanas.

O motivo é um vídeo que vem circulando pelos e-mais, com a música de Zé Ramalho, que fala sobre a forma como o presidente Lula rege o governo.

A sua assessoria do gabinete está em polvorosa, já que não tem um membro do Congresso que não tenha assistido.

Assista o vídeo que é objeto da polêmica.

MISTÉRIOS DA HISTÓRIA

Antes de dizer que o mundo é apenas isso que você vê, que é comum e chato, primeiro tenha certeza de que conheçe ele completamente. Estamos apenas no inicio de uma nova era, os olhos começam a se abrir, as as verdades começam a aparecer. Apenas veja o video sem pré-conceitos e pense duas vezes antes de tirar conclusões.

Especial Chico Xavier

Programa SBT Reporter exibido pela concessionaria publica de TV do Sistema Brasileiro de Televisao (SBT) sobre o medium espirita brasileiro Chico Xavier. No programa que aqui esta repartido em quatro videos (Parte I, II, III e IV) voce vera depoimento e varias outras informacoes sobre este ser que mudou o paradigma da doutrina de Kardec no Brasil, sempre atraves de seus atos de benevolencia e exemplos de amor, caridade, renuncia e solicitude.

domingo, 21 de fevereiro de 2010

OVNIs e o acobertamento das autoridades

 

parte 1

parte 2


parte 3

parte 4


parte 5

parte 6


parte 7

parte 8


parte 9 final