Seguidores

quarta-feira, 24 de março de 2010

Ação maléfica inconsciente

Os desesperados e preguiçosos também se reúnem, depois da transição da morte física, segundo as tendências que lhes são peculiares. Como acontece às congregações de criaturas rebeldes, na Crosta Planetária, os mais inteligentes e sagazes assumem a direção. Muitos males são praticados por estes infelizes, inconscientemente...

        Mesmo sendo criaturas informadas quanto à verdade, ainda se entregam à prática do mal. Trata-se de ação maléfica inconsciente.

        Na própria Humanidade encarnada encontramos idênticos fenômenos. Decorridos mais de mil anos sobre os ensinamentos do Cristo, com a visão ampla dos sacrifícios do Mestre e de seus continuadores, cientes da lição da Manjedoura e da Cruz, investidos na posse dos tesouros evangélicos,

  • abalançaram-se os homens às chamadas guerras santas, exterminando-se uns aos outros, em nome de Jesus,

  • instituíram tribunais da Inquisição cheios de suplícios, onde pessoas de todas as condições sociais foram atormentadas, aos milhares, em nome da caridade de Nosso Senhor.

A ignorância é antiga e a simples mudança de indumentária que a morte física impõe não modifica o íntimo das almas. Não temos “céus automáticos”, temos realidades.

        A maioria nas zonas inferiores é constituí da de entidades desencarnadas, em situação de parasitismo. Pesam naturalmente na economia psíquica das pessoas às quais se reúnem e na atmosfera dos lares que as acolhem. Não creia, porém, na inexistência de organizações nas zonas inferiores. Elas existem e, em grande número, não obstante os ascendentes de orgulho e rebeldia que lhes inspiraram as fundações. Em semelhantes agrupamentos, dominam os gênios da perversidade deliberada. Aqui temos tão-somente uma assembléia de almas sofredoras e desorientadas. Não representam os antros do mal, em sua verdadeira significação.

André Luiz