Seguidores

domingo, 20 de dezembro de 2009

CASO PASCAGOULA, MISSISSIPI, ESTADOS UNIDOS

Um importante caso de abdução ocorrido em 11 de outubro de 1973, em Pascagoula, Missisipi, EUA

Dados Gerais

Local
Rio Pascagoula, Mississipi, Estados Unidos

Data e Hora
noite de 11 de outubro de 1973

Nº de Testemunhas
2

Tipo
abdução

No dia 11 de outubro de 1973, Charles Hickson (42) e Calvino Parker (19) estavam pescando no rio Pascagoula, Mississipi (EUA). Ambos eram funcionários de um estaleiro e ouviram um estranho chiado. Logo em seguida eles observaram um objeto com formato ovóide descer do céu. O objeto tinha aproximadamente 3 metros de largura por 2,5 de altura, com luzes azuis, pairando a 12 metros de altura.

Com o objeto ainda no ar, uma porta se abriu e saíram três seres, de aspecto estranho, flutuando em direção às testemunhas. Posteriormente as testemunhas puderam constatar que os seres tinham 1,50m de altura, cabeça oval, sem pescoço, boca quase imperceptível, e estranhas protuberâncias no lugar do nariz e das orelhas. Os seres não tinham olhos, eram de coloração acinzentada e mãos providas de garras.

Acima representação das estranhas criaturas que teriam capturado os dois pescadores em Pascagoula

Dois seres agarraram Hickson, e um agarrou Parker, que desmaiou devido ao impacto emocional. Segundo Hickson, quando os seres tocaram seu braço , seu corpo ficou amortecido. Os seres levaram os dois pescadores flutuando para a nave onde foram submetidos a exames médicos. O seqüestro durou aproximadamente vinte minutos sendo que ao final eles foram deixados no mesmo local onde foram capturados. Os dois protagonistas deste caso informaram primeiramente a Base Aérea de Kesslerr, em Biloxi. O oficial que os atendeu sugeriu que eles procurassem o chefe de polícia de sua cidade. O Xerife local, ao ouvir a história de ambos resolveu colocá-los em uma sala separada, a prova de som, onde eles foram interrogados separadamente. A intenção do delegado era desmistificar o caso. Não houve nenhuma contradição nos relatos.

A imprensa local publicou a história e em poucos dias o caso ficou conhecido no país inteiro. A Aerial Phenomena Research Organization (APRO), fundada em 1952, enviou um pesquisador para investigar o caso. A Força Aérea Americana enviou outro pesquisador, o astrônomo Joseph Allen Hynek. Ambos investigaram o caso utilizando diversos métodos, como por exemplo, o detector de mentiras e uso de hipnose. Não houve contradição em nenhum momento e ambos passaram nos testes com detector de mentiras.

Charles Hickson e Calvin Parker, na época do contato

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ADICIONE SEU COMENTÁRIO AQUI