Seguidores

sábado, 7 de novembro de 2009

INDÍCIOS ALTAMENTE RELEVANTES

"Há muitos domicílios de vida inteligente no Universo, e muitos deles são habitados por organismos com inteligências infinitamente superiores às nossas"

(Dr. Lewis W. Beck - University of Rochester)

Acima você vê a imagem de um planeta plenamente habitável, contendo, portanto, seus continentes, mares, rios, nuvens e uma camada atmosférica. Logo diríamos: - "É a nossa Terra, não?", porém, trata-se de um nosso vizinho, e relativamente próximo - precisamente MARTE! Mas isso há muitos milhões de anos atrás, conforme alguns cientistas visualizaram e de acordo com as mais recentes evidências encontradas pelas modernas sondas espaciais exploratórias.

Hoje, no entanto, assim é Marte, um mundo árido, desolado, praticamente morto em virtude de uma catástrofe qualquer que, drenando toda a sua atmosfera, transformou esse antigo paraíso em um deserto atualmente dominado pelo caos e pelo silêncio.

Todavia, nem toda espécie de vida orgânica parece ter perecido em Marte. Até mesmo dentro da própria NASA já se admite que esse planeta possui camadas de gelo (FOTO) visíveis, como também água em estado líquido, resquícios do passado porém no subsolo, isto é, sob a sua desolada e morta superfície.

Todavia, algumas fotos bem intrigantes sugerem que a água em estado líquido ainda esteja aflorando em certos pontos, percorrendo assim a sua errática trajetória por sobre alguns lugares bem específicos da superfície marciana! Repare com bastante atenção na muito expressiva imagem acima.

E não é só isso: as provas quanto à existência de antigos oceanos também se fazem presentes! Na foto acima, temos um exemplo bastante típico logo à direita.

Mas, se há muitos milhões de anos atrás Marte foi um planeta até bastante semelhante à Terra, por que não aceitarmos a idéia de que igualmente fora HABITADO? Muito embora seja um segredo muito bem guardado, certas estruturas não convencionais, além de nitidamente artificiais, espalhadas pelo solo marciano, sugerem que: não somente foi um planeta habitado, como também habitado por um avançada civilização! O mais curioso de tudo é que, assim como esses vestígios nos chamam a atenção, também os órgãos espaciais que bisbilhotam a sua superfície não deixam de fotografar essas insólitas curiosidades. Claro que se trata de coisas muito, muito interessantes mesmo! Ponha-se no lugar deles, hipoteticamente imagine que você está diante de uma multidão de homens e em meio a ela surge, por exemplo, uma Angelina Jolie QUEM você fotografaria? De maneira alguma os "barbados", claro! É exatamente o mesmo que parece acontecer com esses estonteantes, porém muito embaraçosos, vestígios marcianos.

E esses intrigantes vestígios tornam-se extremamente eloqüentes, principalmente quando se nota uma intensa, por assim dizer, "afinidade" com tudo aquilo de misterioso que encontramos hoje, espalhado pela face do NOSSO próprio planeta, originário de um passado obscuro e muito remoto.

Em Marte há inúmeros "rostos", pirâmdies, como !também muitos enigmáticos sinais voltados para o espaço exterior! Alguns deles estão, por assim dizer, extraordinariamente " contidos" na estrutura de diversos estranhos monumentos, sendo somente discerníveis (assim como podemos ver na imagem acima), quando submetemos as fotos desses monumentos à analise espectrográfica! Evidentemente, não foram feitos para serem discernidos por olhos humanos e sim, ao que tudo indica, destinados para os olhos de criaturas cuja visão abranja um espectro bastante diferente e até mais elevado e muito mais sutil do que o nosso!

E aqui, será que nessa outra imagem vemos uma típica paisagem Marciana com as suas pirâmides? NÃO! É aqui na Terra mesmo, precisamente no Egito. Tudo muito "coincidente", até a própria paisagem parece idêntica! Portanto, NADA impede que sobreviventes da catástrofe marciana tenham, em tempos desconhecidos e muito remotos, emigrado para o nosso planeta, aqui se estabelecendo e, por conseguinte, logicamente deixando as marcas da sua cultura. Tudo é mesmo possível. Há provas contundentes, isso espalhadas nos quatro cantos da Terra, de que uma prodigiosa civilização esteve mesmo aqui presente. E, por que não supormos que esta misteriosa civilização alienígena poderia ter sido a origem da perdida Atlântida, ou talvez da Lemúria - continentes muito antigos e insistentemente relatados nas mais antigas tradições?

Queiram ou não, quer neguem ou reneguem, uma misteriosa raça subitamente surgiu nos primórdios do Egito, fundando aquela civilização e fornecendo as bases de todas as ciências, transformando-a assim na mais prodigiosa civilização de toda a antigüidade conhecida. A conexão existente entre o Antigo Egito e a antiga civilização Marciana, seus monumentos e seus simbolismos, é simplesmente chocante, e, por sinal, já abordamos esse tema em diversas páginas deste Site. Contudo, mais uma vez vale ressaltar que os Antigos Egípcios eram mesmo sutilíssimos nas grandes verdades que representavam. Acima você vê três imagens associadas a Tutankhamon, último faraó da XVIII Dinastia e também o derradeiro representante da tal raça predestinada que se sucedeu até essa época no trono do Egito. O sutil dessa tripla foto é que invariavelmente essa raça era dotada de um crânio desproporcional e diferente do biotipo egípcio tradicional, tal como podemos ver na imagem da direita. A segunda e mais importante sutileza é precisamente os formatos dos vistosos toucados desses antigos e predestinados soberanos. Somente uma pequena elite dos mais altos Iniciados, Mestres e sacerdotes sabia a verdadeira origem desses soberanos e a protegia, ocultando-a das massas - ainda hoje despreparadas para uma revelação desse tipo. E agora perguntamos a você: - QUE DISFARCE MAIS ORIGINAL DO QUE ESSES para ocultar das massas o enorme tamanho dos crânios "diferentes" dos seus soberanos? E que representação mais sutil do que essa para velar o segredo que lembra a imagem dos capacetes de antigos astronautas???

Por outro lado, não é somente em Marte que estranhos sinais - somente visíveis a partir do espaço ou, melhor dizendo, por quem porventura esteja a bordo de uma máquina voadora qualquer - se fazem presentes na paisagem. Por especial cortesia de um dos nossos estimados visitantes, aqui vemos, no Chile, e cortados por uma rodovia, esses estranhos geoglifos que sinalizam para o céu uma mensagem desconhecida. (FOTO: © DigitalGlobe/Google)

E reveja no correspondente negativo como tais figuras extraordinariamente se assemelham com aquelas postadas no Planalto de Nazca, este por sua vez situado bem distante e em outro país, precisamente no Peru! Não é mesmo chocante?

Mas, também no Peru não é somente no seu misterioso Planalto de Nazca que estranhas figuras igualmente perscrutam o céu. Há ainda mais: o mesmo nosso estimado visitante também descobriu no Google Earth outra reveladora curiosidade: aqui vemos um local - talvez não sem uma justa razão, denominado Cerro sagrado, já bem próximo ao Oceano Pacífico - onde os mesmos misteriosos (e além de tudo intrigantes) sinais se repetem. (FOTO: © DigitalGlobe/Google)

E quanto aos colossais rostos enigmáticos que se voltam para o céu? Também não são privilégios apenas de Marte! Aqui na Terra também encontraremos diversos deles, tudo sugerindo o MESMO estilo! Para não irmos muito longe, na imagem vemos a famosa "Pedra do Estreito", no Estado do Espírito Santo, aqui mesmo no Brasil. (Imagem por especial cortesia do nosos estimado visitante Ivan Bourguignon, EUA)

Mas, tudo nos prova que não somente no Egito, como também nos mais diversos países do planeta, pirâmides e outros colossais monumentos espalham-se por todas as partes - estes sempre esculpidos em montanhas inteiras. Tudo, portanto, sugerindo que a mesma desconhecida civilização neles deixou as suas sempre coincidentes marcas. Aqui, Baía de Guanabara, Rio de Janeiro. Parece o imenso perfil de um rosto? Sim, Claro! Muito embora se recusem a enxergar, parece e tudo comprova que se trata exatamente disto!

E aqui, encontramos uma outra semelhança que jamais poderia ter sido uma mera coincidência? SIM; é algo extremamente evidente! À esquerda, você vê um imenso pássaro gravado em uma montanha, também situada no Estado do Espírito Santo, e logo à direita vemos um exemplar idêntico já na Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro, cidade esta situado em um outro Estado e a milhares de quilômetros de distância um do outro, no Sudeste do território brasileiro. Tudo sugere que teriam sido os mesmo misteriosos escultores que em um passado remotíssimo manipulavam montanhas inteiras mediante técnicas e tecnologias ainda hoje desconhecidas! Aliás, para sermos claros e diretos, é praticamente a mesma coisa que vemos no hoje desértico solo avermelhado de Marte!

E também aqui no Brasil, outra "curiosidade" situada em Tabira, igualmente no Estado do Espírito Santo, algo que jamais poderia ter sido uma mera formação natural uma vez que podemos constatar que a representação do perfil de um desconhecido animal foi perfeitamente encaixada no bloco rochoso inferior. Aliás, tal bizarra escultura é mesmo chamada de "A Pedra do Sino", uma vez que tem a curiosa propriedade no sentido de vibrar, emitir sons agudos e metálicos quando tocada! (Imagem por especial cortesia do nosos estimado visitante Ivan Bourguignon, EUA)

O mais estranho, é que todos esses bizarros monumentos situados no Estado do Espírito Santo se concentram numa única área, abrangida pelas localidades de Cachoeiro do Itapemirim e Conceição do Castelo. Acima, à esquerda, vemos a Pedra de Itabira, outro curioso monumento rochoso que parece ostentar um rosto. (Imagem por especial cortesia do nosos estimado visitante Ivan Bourguignon, EUA)

Alguma dúvida? Comprove então no negativo da imagem. Apesar de já bastante desgastados pela intempéries, são nítidos os olhos, nariz e a boca do estranho personagem!

E não se trata de meras formações naturais! Aqui vemos as silhuetas do chamado "Morro do Frade e a Freira, também situado em Cachoeiro do Itapemirim. Na verdade, isso nada tem de "frade e freira", uma vez que este foi o nome dado pela população local devido à inusitada semelhança que essa montanha apresenta. O que temos aqui é um colossal personagem (que, aliás, parece usar um manto), diante de um outro - este dotado de aparência não humana. Mais uma vez, temos diante de nós TODA UMA MONTANHA inteiramente esculpida..... Mas QUANDO, COMO e por QUEM? (Imagem por especial cortesia do nosso estimado visitante Ivan Bourguignon, EUA). Lamentavelmente, e como sempre acontece, os comodistas preferem atribuir tudo aquilo que há de insólito e inexplicado por toda a face da Terra à sempre culpada "erosão". Mas trata-se de uma "erosão" extremamente inteligente, inteligente em demasia para meramente se tratar de processos erosivos. E nesse particular, fazemos nossas as palavras do sábio Filósofo Francis Bacon (1561-1626) quando sabiamente um dia escrevera que: - "Há muitos "descobridores", despreparados, que pensam que não há terras quando somente conseguem enxergar mares".

Marte, como era antes, e a nossa Terra assim como é hoje. Mundos irmãos que um dia foram semelhantes. É uma patética lição, uma severa advertência, que deve ser devidamente assimilada e aprendida - antes que se torne tarde demais. Hoje, a Natureza violentada já começa a nos cobrar a sua implacável conta. A contagem regressiva já começou! Pode ser que, também um dia qualquer, este nosso pequeno mundo se torne um astro morto e desértico a vagar pelo espaço sideral, girando silenciosamente em torno da sua pequena estrela dotada de quinta grandeza. A humildade nunca foi uma qualidade do ser humano; os olhos são cegos, os ouvidos surdos. Toda a nossa tão decantada Arqueologia unicamente é baseada em um trabalho com cerca de 100 anos, abrangendo um curto período histórico que compreende cerca de 6 mil anos passados, somente raciocinando em termos conhecidos porém desprezando tudo aquilo que é desconhecido. O passado, precisamente aquele mais pretérito, esconde certamente os seus segredos, segredos estes que estão bem à vista e no entanto lamentavelmente olvidados. Contudo, pode ser que ainda haja algum tempo para que nos curvemos diante de uma realidade que soa gritante e eloqüente - de um apelo expressivamente dramático que nos lembra o quanto são efêmeras as realizações humanas, como também assim o são todas as ilusórias conquistas diante de forças e de circunstâncias infinitamente superiores - por conseguinte, forçosamente incontroláveis. Indícios altamente relevantes.... O passado sempre retorna, o que foi será novamente! E quem sabe os "deuses" do passado distante não sejamos NÓS mesmos, e um dia qualquer novamente voltaremos a sê-lo, porém "deuses" de um futuro próximo, recomeçando assim a trajetória humana, em um outro mundo talvez muito semelhante ao nosso, o qual, em um recanto qualquer da vastidão maravilhosa e resplandecente desse Infinito estrelado, certamente nos aguarda.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

ADICIONE SEU COMENTÁRIO AQUI