Seguidores

domingo, 18 de outubro de 2009

O ALIEN ANÃO DOS MONTES URAIS I




tradução: Caroline Beck
Fonte: Russian geneticists to reveal alien’s DNA mystery
― PRAVDA ENGLISH




Brevemente os cientistas poderão desvendar o mistério do Alien de Uralian (Alien dos Urais), uma minúscula criatura encontrada perto da cidade de Kyshtym, nos Urais. Foram realizados cinco estudos com a amostra do DNA do pequeno ser. O último estudo conduzido pelo Instituto de Medicina Forense de Moscou produziu resultados sensacionais.

"Um gene descoberto na amostra de DNA não corresponde a nenhum ser humano ou macaco antropóide", disse Vadim Chernobrov, coordenador do centro público de pesquisa de Kosmopoisk. "Nenhuma amostra disponível no laboratório combina com o gene. Especialistas em DNA têm prolongado o exame com a molécula de DNA”, acrescentou Chernobrov.

Cientistas têm procurado uma explicação para o fenômeno de Kyshtym, que já tem mais de dez anos. A história começou no verão de 1996, depois que a pequena criatura foi encontrada na região de Chelyabinsk. O achado foi logo chamado de Alien Kyshtym. Um médico local examinou o corpo numa autópsia e concluiu que poderia ser de um humano ou animal. Ufologistas consideram o anão de Kyshtym um caso claro de extraterrestre. O clero acredita que o anão era um demônio. A criatura ainda estava viva quando foi encontrada por uma senhora. Ela foi a única que deu ao ser um nome humano - Alioshenka (um diminutivo do nome russo "Alexei").

A Maldição de Alioshenka

O anão de Kyshtym não causou nenhum mal a ninguém quando estava na terra onde vivia. Coisas estranhas começaram acontecer depois de sua morte. A senhora que cuidou de Alioshenka morreu atropelada (em 05 de agosto de 1999); foi derrubada por um carro dias antes dos pesquisadores de Moscou chegarem a cidade. Nesse ínterim, o corpo do alienígena desapareceu sem deixar um traço. Um investigador que cuidou do caso, achava que as pessoas que cuidaram do corpo se apropriaram dele.


Não bastava ser ET: tinha de ser achado em um cemitério!

Uma TV japonesa chegou a cidade para fazer um documentário sobre Alioshenka. Os japoneses oferecerão uma recompensa de $200,000 por alguma informação sobre onde estava a criatura roubada. Por outro lado, todos os esforços para localizar o pequeno ser falharam. Um minúsculo pedaço do corpo morto foi a única evidência recuperada. Os Japoneses exibiram o objeto para câmeras.

O acadêmico Mark Milkhiker inspecionou cuidadosamente o fenômeno Kyshtym no local. Ele examinou cuidadosamente a área onde o duende foi achado. Milkhiker ficou seriamente doente depois que retornou a Moscou. Morreu de um ataque cardíaco enquanto estava no hospital. Anteriormente citado Vadim Chernobrov também passou por momentos desagradáveis depois de quatro anos da descoberta do duende. Uma misteriosa doença paralisou ele da cintura para baixo. Os médicos não conseguiram explica a causa de sua doença. Foi Chernobrov que encontrou o pedaço de tecido usado pela senhora para embalar o Alien quando foi encontrado.


Será que todos esses infortúnios coincidências? Será que o alien realmente colocou uma maldição nas pessoas que tentam descobrir seu mistério? É fato que Deguchi Masao, um produtor do documentário japonês sobre Alioshenka caiu em descrédito, o que ele fez? Ele prometeu pagamento para as pessoas do local se elas dividissem as informações sobre o pequeno ser e sua tripulação. Desnecessário dizer que a noticia se espalhou como rastilho de pólvora. Vários fofoqueiros e bêbados fizeram fila na casa onde os japoneses estavam hospedados, onde as "testemunhas" iriam ser entrevistadas. Porém, isso só serviu para torna o evento duvidoso.

Segundo Vladimir Bendlin, uma das principais testemunhas do evento, num dia chuvoso de verão deteve Vladimir Nutdinov por tenta rouba uma cerca elétrica. O policial confiscou um pacote do homem. Removendo o pano vermelho que o envolvia, o policial viu uma pequena múmia de uma estranha criatura. Colocou-a no lugar e a filmou. Ele anunciou logo que a criatura parecia um alien, a criatura parecia uma pedra fria e sem vida, assim disse Bendlin. Bendlin abriu investigações sobre o alien, o corpo encontrado foi envolvido numa investigação policial, a policia tentou determinar causa da morte do estranho ser.

Os Especialistas

Igor Uskov, um urologista do hospital local, estava de plantão no dia. Um telefone tocou no seu escritório ao meio-dia. Ele teve uma crise riso quando o homem do outro lado explicou a razão pela qual necessitava de seus serviços. "O corpo de um alien morto? Parem com essa brincadeira."


"Doutor acho melhor você vir aqui olhar por se mesmo...". Doutor Uskov foi o primeiro médico profissional a examina o corpo. Ele considerou o corpo como sendo de um feto de vinte semanas. Doutor Uskov procurou uma segunda opinião, da ginecologista Irina Ermolayeva. A doutora Ermolayeva concordou que o corpo parecia de um feto mal desenvolvido, expelido de um útero prematuro.

O veredicto dos doutores era música para Bendlin. A estranha criatura não era um alien, era um feto humano; agora era outro o caso, caso de aborto ilegal. O investigador já havia se deparado com outros antes. Mas ele esperava fechar o caso depois do exame da autópsia. Bendlin esperava que o doutor encarregado confirmasse que era um feto natimorto.

Stanislav Samoshkin, o patologista do hospital de Kyshtym, não brincou com hipóteses de alien ou fez piadas, quando Bendlin levou o corpo para ser examinado. Anunciou que o corpo tanto poderia ser de ser humano ou de animal. De acordo com ele parecia uma nova forma de vida. Segundo Samoshkin: "A criatura não apresentava forma de um ser humano. O crânio humano é constituído de seis ossos. O crânio da criatura era feito de quatro ossos. Havia outras diferenças na estrutura do esqueleto. Aquelas anomalias não pareciam nada com as anomalias congênitas conhecidas atualmente."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ADICIONE SEU COMENTÁRIO AQUI