Seguidores

domingo, 18 de outubro de 2009

Cont... do Alien Anão

Alioshenka nos Mídia
In VIRTUALLY STRANGE 11/12/2000

Em agosto de 1996, na vila Kaolinovy, perto da pequena cidade de Kyshtym, a aposentada Tamara Prosvirina afirmou que recebeu "um comando telepático" para ir ao cemitério; lá ela encontrou o anão e o levou para casa. O pequeno ser viveu com ela, que tentou alimentá-lo com biscoitos e leite.

Os vizinhos e parentes viram o duende vivendo com ela, disseram que a cor do alien era branca, com uma textura especial em suas juntas. Os vizinhos de Tamara achavam que ela estava sofrendo de uma doença mental e a internaram num hospital psiquiátrico. A criatura ficou lá, trancada e morreu dentro da casa.

Enquanto Tamara estava no hospital sua casa foi invadida por Mr.Nurtdinov, que encontrou o corpo enrijecido. Exalava um cheiro de água de colônia. Ele secou o corpo e colocou na sua geladeira.



Extraterrestrial visitor in Russian province
In PRAVDA 18/02/2004

Os vizinhos e parentes viram o duende vivendo com ela, disseram que a cor do alien era branca, com uma textura especial em suas juntas. Os vizinhos de Tamara achavam que ela estava sofrendo de uma doença mental e a internaram num hospital psiquiátrico. A criatura ficou lá, trancada e morreu dentro da casa.

Em 13 de agosto de 1996, a aposentada Tamara Vasilievna Prosvirina, que sofria de problemas psiquiátricos, costumava colher flores no cemitério de seu vilarejo, Kaolinovy - na província de Kysshtym, Rússia. Todos os dias ela ia ao cemitério pegar as flores que decoravam seu quarto. Uma noite, depois do jantar, quando Tamara já tinha se recolhido para dormir, ela ouviu uma voz que pedia a ela que voltasse ao cemitério. Ela se vestiu, pegou sua lanterna e foi.

Um par de grandes olhos esperava por ela próximo a um túmulo. Ela se aproximou e viu uma estranha criatura. Tinha cerca de 25 cm de altura e não era um ser humano. A pequena cabeça parecia feita de cinco "pétalas" e aqueles olhos de gato, de cor cinza-escuro, sem pálpebras, as pupilas verticais, tomavam toda a face. Não falava, mas parecia emitir um assobio baixo para atrair Tamara. [Uma linguagem, talvez].

Ela o levou para casa onde examinou o ser. O corpo roliço tremia como geléia. A pele era cinzenta com manchas escuras, marrons, na cabeça. Era calvo e tinha pequenos orifícios onde podia ter orelhas. Respirava pelo nariz achatado. As pupilas estavam sempre se expandindo e se retraindo.

A mulher pensou que deveria alimentar Aleshenka mas sua boca parecia ser apenas um pequeno orifício sem lábios, que também se expandia deixando ver um conjunto de dentes e uma longa língua vermelha. Ela tentou colocar-lhe um caramelo na boca e ele começou chupar a guloseima. Também bebeu leite e água em uma colher de chá. Depois de comer ele parecia mais disposto, "hidratado", e começou a exalar uma fragrância doce. Ela cuidou dele, umedecendo seu corpo de tempos em tempos e esticando suas pernas.

No dia seguinte todos os moradores do lugar sabiam da notícia: a mulher estava falando para todo mundo e tinha uma criança e seu nome era Alenshenka Cute. No início todos pensaram que era algum delírio causado pela doença mental mas depois, a cunhada de Tamara, visitando-a, viu a criatura bem como sua mãe. As duas nada fizeram nem pensaram em chamar a polícia. Comentaram que deviam deixar Tamara com seu "bicho de estimação" porque, não era uma criança, não era humano e, portanto devia ser um tipo de animal.

Mas os vizinhos levaram o caso à saúde pública e Tamara foi internada em um hospital psiquiátrico. Tamara tentou explicar que tinha uma "criança" em casa mas não foi levada a sério. Aleshenka morreu de fome e de sede trancado na casa de Tamara. Vladmir Nurdinov, que vira Aleshenka, tentou resgatá-lo. Tarde demais. Jazia morto, seco e mumificado na cama da benfeitora. Nurdinov levou o cadáver para casa; não sabia o que fazer com aquilo. Procurado pela polícia por conta de certas irregularidades que cometera, sua casa foi revistada e o cadáver descoberto. Os policiais acharam que era uma criança, o que complicou a situação de Nurlinov.


EXAMES

Os especialistas encontraram mais de 20 pontos de diferenças entre Aleshenka e um ser humano, descartando a hipótese de ser uma criança mutante. A possibilidade foi levantada porque a cidade de Kyshtym está situada em uma área contaminada depois de um acidente com um misterioso dispositivo, em 1957. Desde então, crianças com mutações genéticas nascem na região.

EXTRATERRESTRE

Foi um investigador de polícia quem falou pela primeira que a criatura era um extraterrestre. Seus superiores proibiram-no de seguir essa linha de investigação porque "não fazia sentido". Mas o policial resolveu prosseguir extra-oficialmente. Ele procurou uma organização especializada em UFOs, a Star Academy UFO-Contact, sediada na região Sverdlovsk, na cidade de Kamensky-Uralsky, liderada por Galina Semenkova. Recentemente [em 2004], Galina, em um seminário sbre UFOs, em Tóquio, finalmente revelou o que aconteceu com os restos mortais de Aleshenka: ela foi examinar e resgatar os restos mortais porém, enquanto estava na estrada, em seu carro, levando o "material" para sua cidade, apareceu um disco-voador no céu. O carro "morreu" e aliens saídos do disco requisitaram o corpo, que Galina entregou imediatamente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ADICIONE SEU COMENTÁRIO AQUI