Seguidores

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

João XXIII foi contactado por seres extraterretres.

EL GRÁFICO S.S. -
por Yohanan Díaz Vargas
Em 2008, o diretor do Observatório do Vaticano, José Gabriel Funes, em entrevista com o jornal LÓbservatorie Romano, afirmou que "Deus pôde ter criado vida inteligente em outras partes do universo e inclusive poderiam ser nossos irmãos", declarações que em matéria de minutos deram a volta ao mundo.
Um dos antecedentes disto foi o publicado em 1985 pelo jornal inglês SUN e semanas depois reproduzido por um rotativo estadounidense em 23 de julho de 1985, onde se assegurava que o Papa João XXIII, a quem se lhe creditam milhares de fatos milagrosos em curas de doenças em todo mundo, teve vários encontros com seres extraterrestres. Um deles muito especial e bem documentado, teve lugar na residência veraniega de Castell Gandolfo, em 1961. Segundo declarou um dos assistentes papales. “Era de forma oval e tinha luzes intermitentes azuis e âmbar. A nave pareceu sobrevoar nossas cabeças, depois aterrou sobre a grama no lado sul do jardim. Um estranho ser saiu da nave; parecia um humano a exceção de que estava rodeado de uma luz dourada e tinha orelhas alongadas. Sua Santidade e eu nos ajoelhamos. Não sabíamos o que estávamos vendo. Mas soubemos que não era deste mundo, portanto devia ser um acontecimento celestial."
NÃO CAUSOU REAÇÃO NESSE MOMENTO

O Santo Pai levantou-se e caminhou para o ser. Os dois estiveram de 15 a 20 minutos, pareciam falar intensamente. Eles não me chamaram, de modo que permaneci onde estava e não pude ouvir nada do que falaram. O ser deu a volta e caminhou para sua nave, em seguida marchou. O Sumo pontífice dirigiu-se para mim e me disse: Os filhos de Deus estão em todas partes; algumas vezes temos dificuldade em reconhecer a nossos próprios irmãos”. Nesse momento esta nota não causou nenhuma reação e foi retomada em 2007 em um congresso do fenómeno OVNI no Peru pelo Bispo para Centroamérica da Igreja Católica Ecumênica de Jesus Cristo, Higinio Asas Gómez.

DIFICULDADE EM RECONHECER A NOSSOS IRMÃOS

Em 23 de maio de 1963 anunciou-se que o Papa padecia de cancro de estômago. Em uma semana posterior Angelo Giuseppe Roncalli morreu em Roma. O Papa não quis se deixar operar temendo que o rumo do Concilio Vaticano II, que se desenvolvia nesses momentos, se enfocara por outro caminho. João XXIII morreu sem ver concluída sua obra, a que ele mesmo considerava "A Posta ao dia da Igreja". Monsenhor Higinio Asas em entrevista telefônica com O Gráfico assegurou que “ante o leito de morte lhe perguntou sobre seu encontro e contestou que isso ele levava em seu coração”. O religioso assegurou que “na memória de milhares de pessoas, este Pontífice é recordado como o ‘Papa bom’ e é também honrado por muitas organizações protestantes como um reformador cristão”. Disse que “o encontro do Santo Pai com seres não humanos, sendo verdadeiro, abriu sua mentalidade”.
No livro “As Profecias do Papa Juan XXIII” do escritor italiano, Pier Carpi, lê-se: “As luzes do Céu serão vermelhas, azuis e verdes, e velozes. Crescerão. Alguém vem de longe. Quer conhecer aos homens da terra. Já tem tido encontros. Mas quem viu realmente tem guardado silêncio”. Sua Santidade João XXIII foi beatificado por João Paulo II em 3 de setembro de 2000 e quando foi exumado no ano 2000 se encontrou seu corpo em estado incorrupto. Seus restos descansam na Basílica de São Pedro.
Ouça a entrevista: ((( Monseñor HIGINIO ALAS GÓMEZ )))

Fonte:

Um comentário:

  1. Admito a bondade do Papa João XXIII, mas ao demais, fico com muitas dúvidas....os segredos começam a criar dúvidas as certezas purificam e avisam as almas.Para Deus não existem segredos e os espíritos muito elevadosn ão têm dificuldade em revelar o que lhes é permitido.Ler e estudar o Livro dos Espíritos e a Gênese, talvez informe mais clara e com evidências as existências em outros planetas...os segredos da I.C. são sempre para desconfiar.

    ResponderExcluir

ADICIONE SEU COMENTÁRIO AQUI